24/07/2012

A força da Igreja Assembleia de Deus nas eleições de 2012

A perigosa mistura entre religião e política já faz,há algum tempo, parte das campanhas eleitorais, visando,não somente os votos dos crentes, mas, também, a eleição de candidatos levantados por denominações e ministérios,de forma específica.Em 2012,a denominação que promete eleger muitos candidatos pelo Brasil é, acredite, a Assembléia de Deus. Nossa Igreja, como sabemos, sempre viu com certa preocupação a manipulação da política por meio da fé [ou vice-versa...]. Infelizmente, porém, muitos pastores "modernos" entendem que a Igreja tem um papel que vai muito além do amparo espiritual e social, segundo eles,à Igreja cabe,também,meter o bedelho nas eleições, influenciando seus membros a votarem em candidatos que o pastor julga ser o "enviado de Deus", o eleito para guiar o povo.

Conforme o senso do IBGE, a Assembléia de Deus é a maior Igreja Pentecostal [e evangélica ] do País,com 12 milhões de membros,divididos em 5.565 cidades brasileiras e,essa força religiosa se mostrará nestas eleições certamente.Tendo mais de 100 mil pastores ligados às duas maiores Convenções da denominação, a CGADB (Convenção Geral das Assembléias de Deus),ligada à Igreja Mãe de Belém e a CONAMAD (Convenção Nacional das Assembléias de Deus no Brasil),ligada à Igreja de Madureira,iniciada pelo saudoso Pastor Paulo Leivas Macalão e,que hoje é liderada pelo pastor (Bp ?) Manoel Ferreira na Convenção e pelo seu filho pastor Abner Ferreira na Igreja de Madureira,A Igreja já tem candidatos 'oficiais' sendo apoiados pelos ministérios.

As duas Convenções já perceberam sua influência na esfera política e a possibilidade de eleger quem apoiarem e,estando presente em 95% das cidades brasileiras,a eleição de candidatos apoiados pela denominação não é muito difícil.

Os líderes assembleianos,ao abrirem as Igrejas para a política,o fazem por entenderem que isso favorece as igrejas de alguma forma.Uma das questões fundamentais é,sem dúvidas,a atuação mais firme,tanto nas Câmaras, no Congresso e no Senado Federal,diante de temas que podem dificultar a pregação do Evangelho,na percepção da família tradicional,contra as  leis específicas a questões homossexuais, e,também,a questão da legalização do aborto,além de temas éticos e morais que a igreja julgue uma afronta aos padrões bíblicos para a sociedade.

Só para lembrar:dos 76 deputados Federais da Frente Parlamentar Evangélica,24 são assembleianos.

Opinião::

Segundo Aristóteles, somos seres políticos.Política,ainda segundo ele,é o desdobramento natural da Ética.

Os dois conceitos do grande pensador são muito profundos e podem ser desenvolvidos de forma muito detalhada,porém,gostaria apenas de salientar que,embora sejamos naturalmente políticos,não devemos nos esquecer as finalidades primordiais das instituições.A escola ensina,a família educa,a Igreja espiritualiza o indivíduo.Quando nos desvirtuamos destas designações de trabalho, há as falhas nas funções das instituições,dos grupos.No caso da igreja que se embaraça em movimentos políticos,há a perda do foco,que é Cristo,e a atuação em algo na qual o Reino de Cristo não atua,uma vez que este Reino não é nesta terra,nem há a possibilidade de ser implantado aqui.Dessa forma,não é bom à Igreja ver-se envolvida nestas questões.

22/07/2012

A incrível Misericórdia de Deus


"13 E depois de tudo o que nos tem sucedido por causa das nossas más obras, e da nossa grande culpa, ainda assim tu, ó nosso Deus, nos tens castigado menos do que merecem as nossas iniqüidades, e ainda nos deixaste este remanescente;14 tornaremos, pois, agora a violar os teus mandamentos, e a aparentar-nos com os povos que cometem estas abominações? Não estarias tu indignado contra nós até de todo nos consumires, de modo que não ficasse restante, nem quem escapasse?15 Ó Senhor Deus de Israel, justo és, pois ficamos qual um restante que escapou, como hoje se vê. Eis que estamos diante de ti em nossa culpa; e, por causa disto, ninguém há que possa subsistir na tua presença."
(Esdras 9)
Após iniciar um grande mover espiritual em Israel,Esdras, teve seu ministério marcado pela restauração da nação israelita como povo Eleito e nação escolhida por Deus.Ao longo do livro de Esdras vemos seu empenho em trazer de volta a glória que um dia cobrira a Jerusalém eleita do SENHOR.Certamente que esse empenho deste líder espiritual seria totalmente em vão caso houvesse apenas e tão somente  o planejamento,desprezando a busca espiritual a Deus.Focado nas coisas de Deus,Esdras viu todo seu intento realizado,viu,em vida,a Nação escolhida restabelecida e fortificada no Deus de Jacó. 
Os sacerdotes ministrando

A prioridade do sacerdote Esdras era voltada plenamente para o seu chamado divino na propagação da Mensagem,ensino da Lei e, de forma individual, ser referência à sua geração cumprindo a Lei (Ed.7.10). Embora fosse escriba, versado na Lei(Ed.7.6), não desprezava o Espírito e a devoção sincera ao Pai, apregoando,em várias oportunidades,o jejum como ato de fé (Ed.8.21-23). Enfim, era um líder espiritualmente preparado para uma geração devastada e desonrada, humilhada nas mãos de infiéis.O ponto,porém,que mais deve ser valorizado em sua história é,sem dúvidas,sua inclinação à Lei de Deus.Tal inclinação o garantia grandes vitórias e conquistas.

Por possuir grande conhecimento da vontade divina,por meio da Lei,Esdras sabia os caminhos que deveria traçar a fim de ser bem sucedido em seu trabalho a Deus.Uma das chaves que possibilitaram suas conquistas é a percepção da misericórdia de Deus.Com essa percepção,o líder espiritual de Israel logrou êxito naquilo que seu coração empreendeu.No texto de Esdras 9 [acima] vemos uma das declarações de Esdras que o fizeram alcançar lugares altos em meio a humilhação, exílio e escravidão.No meio da situação adversa houve prosperidade e conquistas não por acaso,antes,pelo reconhecimento das misericórdias de Deus.

Reconhecendo as misérias espirituais nas quais Israel estava inserido,o restaurador  da fé, Esdras, consegue chamar a atenção de Deus com o real quebrantamento de espírito e um reconhecimento sincero dos erros e falhas que afastavam a nação da materialização das promessas divinas.Ao reconhecer a operação da misericórdia de Deus,Esdras não somente confessou os pecados nos quais seu povo vivia,mas,entendeu,também,que o SENHOR agiu de graça divinal não os consumindo por seus pecados (9.13 b).Ao \gir dessa forma,viu os céus abertos para que milagres acontecessem diante de si.O reconhecimento dos erros bem como a compreensão do poder vivificador das misericórdias de Deus,foram, e são,capazes de modificar as situações,não somente individuais, mas, também, de toda a nação.

17/07/2012

Deus te visita quando você louva!

A questão do louvor ao longo da Bíblia é tida como a maneira de atrair a presença de Deus,atrair a presença do Espírito Santo (Sl.22.3),a exemplo daquilo que acontecia com Davi,ao tocar a harpa.Enquanto Davi tocava diante de Saul,o espírito maligno que oprimia o rei de Israel se afastava e dava lugar à presença do Espírito Santo(1Sm.16.23).Ao tocar a harpa,aquele homem rendido aos pés do SENHOR,em atitude de total humilhação,atraía a presença do Espírito e todo aquele ambiente era tomado de forma sobrenatural.

O louvor é algo tão indispensável à Igreja de Cristo que,quando a Arca da Aliança foi levada ao Templo,recém terminado por Salomão,numa ministração inicial,todos os levitas estavam reunidos para celebrar ao SENHOR.Em 2 Crônicas 5, podemos ler que todos os sacerdotes se congregaram e reuniram num só espírito e fé para santificar-se a Deus, não fazendo separação dos grupos sacerdotais aos quais faziam parte,apenas se santificaram como povo Eleito.Os levitas,encarregados no serviço no Templo,se reuniram também para uma grande celebração a Deus ,santificados, com vestes dignas do Cordeiro,para apresentar-se diante do Trono da Glória.

Os cânticos eram ministrados pelos levitas e,naquele momento,a glória de Deus envolveu aquele lugar (5.13-14).Quando dizemos que a glória de Deus envolveu aquele povo que estava reunido,é bom que entendamos que essa glória é uma visitação especial do Espírito sobre nós,pois,como sabemos,não somos capazes de contemplar a glória do SENHOR e permanecermos vivos ,intactos (Jo.1.18;1 Jo.4.12),uma vez que não há quem tenha visto a Deus.

Tamanha era a presença de Deus naquele lugar que os próprios sacerdotes, acostumados a lidar com o sagrado,com as coisas de Deus,não puderam suportar e caíram por terra diante daquela visitação magnífica (5.14).Diante de uma visitação especial do SENHOR,o cair com o rosto ao pó tinha como objetivo:

  • Um reconhecimento da santidade do SENHOR (Sl.99.5): Ao curvar-se diante de Deus,prostrar-se ao S.ENHOR,demonstramos o reconhecimento de que Ele é o separado para receber toda a adoração,reconhecemos que Ele é o Ser distinto e imaculado em si mesmo;
  • Um componente no momento da busca a Deus(Sl.95.6):O momento de buscar a Deus deve ser de extrema intimidade,a exemplo daquilo que Jesus ensinou na oração (Mt.6.6).Na nossa busca, em oração, o nosso comportamento deve ser de extrema reverencia diante do Pai (Ec.5.1).
E,ao apresentar-se a Deus da forma correta,o louvor flui naturalmente e é recebido por Deus.Ainda acerca de elementos que compõem o momento devocional do louvor,não devemos desprezar um outro aspecto fundamental das visitações especiais de Deus a seu povo,que é a comunhão com os demais crentes.Note que no Templo em Israel,os fiéis estavam reunidos numa fé louvando a Deus.Os sacerdotes tiveram seu momento de sacrifício,logo em seguida o culto seguiu com os levitas conduzindo os louvores e todos louvavam numa só voz(5.13).

Ao lançar os fundamentos do Templo,levar a Arca,e santificá-lo a Deus,os israelitas viveram uma oportunidade única de ter acesso à presença de Deus. Aquele fora o dia separado para uma visitação espetacular pelo SENHOR e,se queremos algo do tipo em nossa vida,é preciso estar inserido na mesma atmosfera que era na vida daqueles sacerdotes e levitas,tanto a santificação como uma comunhão que nos agrega enquanto povo eleito deve estar em nós.

14/07/2012

(Lucas 12.13-21)-JESUS E AS RIQUEZAS

Continuando a refletir acerca das riquezas e da relação de Cristo com o tema, analisaremos o texto de Lucas,narrando o encontro de Jesus com um homem interessado em sua intercessão a fim de que seu irmão lhe repartisse a herança.

Um pedido incompatível com a missão de Cristo

Em diversos momentos,enquanto as multidões seguiam a Cristo,muitos foram os pedidos e súplicas dirigidas ao Mestre de Nazaré.Os filhos de Zebedeu,por exemplo,Tiago e João,apóstolos de Jesus, lhes dirigiram um pedido egoísta, que desprezava o ensino de Jesus sobre o serviço ao próximo como parte integrante do chamado cristão (Mc.10.44). Os dois irmãos pediram a Jesus que lhes fosse concedido assentar-se ao lado do Mestre ,quando este fosse glorificado (Mc.10.37). O pedido logo foi recusado por Cristo dizendo que uma intimidade maior com Ele é destinada àqueles que estão dispostos a padecer por Ele aquilo que Ele padeceu ao Pai por nós (Mc.10.39).

Outros pedidos foram negados por Cristo,como no caso dos fariseus e saduceus que,tentando o Mestre,pediram sinais que evidenciassem aquilo que Ele dizia(Mt.16.1).A recusa de Jesus logo se fez ouvir naquela situação armada contra Ele(Mt.16.4).

No texto de Lucas,vemos,nos vers.13 e 14,um pedido muito incomum se levado em consideração aquilo que era o compromisso de Jesus em seu ministério. Aquilo que Jesus realizava em seu ministério,em suas ministrações,e que ensinou aos seus discípulos é descrito em Mt.10.8,onde compreendemos que aquilo que era realizado por Ele incluía a manifestação do Reino espiritual na esfera do natural,capaz de levar o homem à comunhão com Deus.Eram demonstrações do Espírito com poder tomando por base o ensino sistemático da doutrina de Deus, a pregação expositiva da Palavra e,confirmando a Mensagem, os sinais através de curas, milagres, prodígios,maravilhas (Mt.4.23).

O pedido dirigido ao Mestre,a fim de que intercedesse na partilha dos bens de uma herança,sendo incompatível com a natureza daquilo que Cristo realizava em seu ministério, foi negado por ele.Mostrando que,embora exercesse muita influência aos seus contemporâneos,Cristo não tinha nenhuma intençaõ em tornar-se representante político de seus seguidores,seu objetivo era simplesmente ser o representante espiritual, daqueles que o recebiam,diante do Pai,uma vez que Seu Reino não é desta terra(Jo.18.36).

Quando Jesus nega o pedido daquele homem,mostra-nos que,embora a atitude estivesse correta [buscar a Deus] o motivo,porém,estava errado [a resolução de problemas financeiros] estava errado.Como hoje,muitos são aqueles que estão agindo como aquele homem,tomam a atitude de buscara a Cristo,mas,o objetivo nada tem a ver com a Salvação ou a Eternidade,seus objetivos tem sido a resolução de questões temporais,meramente humanas.Neste momento,onde os nossos apelos não se unem àquilo que é o objetivo de Jesus,logo temos nossos pedidos negados, reprovados pelo Mestre(Tg.4.3).

A parábola do Rico insensato

Ao negar o pedido daquele homem que lhe rogou uma solução para seu litígio, Cristo para um discurso,em forma de parábola, explicando o porquê de sua negativa.

A partir do vers.16,no início da Parábola,vemos Jesus descrevendo alguém que possuía riquezas e que se via num dilema diante de uma propriedade que havia produzido em excesso.O produtor,não dispondo de um local para recolher sua produção excedente,logo decidiu derrubar seus celeiros,para que construísse maiores.A lógica seguida pelo produtor ,numa primeira análise,não se encontra nem um pouco errada,mas, uma análise cuidadosa, a fundo do caso,mostrará os erros nos quais o homem incorreu.Primeiramente,não devemos desprezar aquilo que a Lei de Moisés determinava àqueles que possuíam em abundância.Em Dt.18.7-8,a Lei era clara quanto aos deveres daqueles que possuíam bastante em Israel,afirmando que estes deveriam suprir as necessidades de seus irmãos que nada possuíam,não desprezando o amparo aos israelitas que não desfrutavam daquilo que os demais.

Na contramão do mandamento,o rico narrado em Lucas,decidiu fechar seu coração para o mandamento e recolher toda sua produção para si mesmo,desprezando uma finalidade determinada pela Escritura,tão somente para satisfazer sua alma(v.19).Novamente Cristo não combate os ricos,pelo simples fato de serem ricos,mas, por tornar algo carnal e corruptível objeto de excessivo cuidado,sendo tratado como objeto de culto.Cristo deixa claro o motivo que levou aquele homem a destruir seus celeiros e construir maiores e era justamente para satisfazer sua auto suficiência egoísta.O propósito daquele homem era manter toda sua produção estocada a fim de que sua alma se alegrasse naquilo, para que seu ego se mantivesse nutrido por possuir condições de se manter daquilo por muitos anos em descanso e sem preocupações, apenas se alegrando dos benefícios daquela colheita(v.19).

Esta noite te pedirão a tua Alma

Ao final da parábola proposta aos seus ouvintes,Cristo,como sempre,aponta para a questão espiritual e a iminência do julgamento divino.Enquanto que,na parábola, o rico fazia projetos e tinha plano0s que satisfariam sua carne,a sujeição às Leis de Deus eram incertas em sua vida,faziam-se os planos,mas, esquecia-se que a  resposta final pertence ao SENHOR (Pv.16.1).Esse conceito de sujeitar-se a Deus ficou claro após a Ressurreição,os crentes passaram a compreender que suas vidas eram condicionadas à vontade de Deus,e Ele nos direcionará conforme seu intento a cada um(Tg.4.14-15).

Jesus,que veio restaurar a visão dos cegos (Lc.4.13),a cada momento que trata do assunto dos bens e das riquezas materiais,passa o ensinamento que aqueles que tem como objetivo de vida apenas e tão somente o acúmulo de bens,o cuidado excessivo por riquezas temporais,estão perdendo tempo em algo que,ao seu espírito,não trará benefícios.A cada discurso,Cristo mostra que o serviço de acumular riquezas é vão e inútil,uma vez que aquele que consegue tal intento,não o terá eternamente,outro desfrutará daquilo que ele acumulou(Sl.39.6).

Mais uma vez Cristo mostra que todo o fruto do nosso trabalho humano não será gozado por nós na eternidade.Tudo o que realizamos,todo o nosso legado,todos os bens,serão objeto de gozo àqueles que nos sucederem (Ec.2.21).Evidenciando a fragilidade de uma vida dedicada aos cuidados excessivos dos bens que possui,Cristo mostra algo no qual é legítimo buscar,um propósito que realmente é útil ao homem buscar - a eternidade.A Palavra,então,nos exorta a ter cuidado com o nosso próprio pensamento,ter cuidado com aquilo que temos almejado no nosso coração(Pv.4.23),nos levando a entender que devemos manter o nosso foco e busca naquilo que é eterno e espiritual(Cl.3.2).

Quando tratamos do tema riqueza enfatizando aquilo que Cristo falou sobre o tema,muitos são aqueles que pensam que enfatizamos a miséria ou amarração financeira.Não é nada disso.Na realidade,aquilo que aprendemos,através das Palavras de Cristo,é que o perigo é quando colocamos de forma prioritária, no mesmo plano da família,ou da própria salvação,a busca pelos bens e riquezas. Cristo,como dissemos,não condena o rico,simplesmente por ser rico, mas, seu apego ao que possui,que pode o afastar,ou mesmo tirar o foco de Cristo em sua vida.Quando priorizamos qualquer coisa que não seja o Reino de Deus,estamos debaixo de condenação,saindo do plano original de Deus a nós,a saber,a salvação.

12/07/2012

jesus cristo homem FALHOU, e agora?

No último mês,a crescendo em graça,liderada por José Luiz de Jesus Miranda, veiculou em seus sites e em suas mensagens a ideia de seu fundador e líder enfatizando ser,o dia 30/06 o fim das religiões 'falsas',a transformação de seu 'messias ungido' e a glória de seus fiéis.O evento profetizado,como podemos ver,não se cumpriu e muitos seguidores de José Luiz devem se perguntar agora qual o rumo que devem tomar,seja acreditar num comprovado falso profeta,falso Cristo,ou desligar-se completamente de toda a farsa que envolve a religião fundada por ele.

A dúvida de muitos é se vale a pena dar crédito àquele que acreditavam ser o Cristo de Deus e muitos são aqueles que, agora, questionam a veracidade daquilo que o 'paizinho' deles ministrava.

Pela recomendação bíblica vemos:

1-Os profetas que não tem o cumprimento de sua mensagem não merecem nenhum crédito(Dt.18.20);

2-Os falsos profetas perecerão nas mãos de Deus(Jr.14.15);

3-Muitos falsos profetas estão atuando atualmente(2Pe.2.1;1Jo.4.1);

4-Falsos Cristos operam com sinais e enganam a muitos (Mt.24.24;Mc.13.22);

5-A SOLUÇÃO: 

5.1-Quebrar a aliança profana (2Jo.1.10);
5.2-Voltar-se ao Único (Is.31.6);
5.3-Deixar as fábulas e contos inúteis (2Pe.1.16);
5.4-Apegar-se à Verdadeira revelação, na qual não há nenhuma falha ou erro em seu cumprimento (2Co.2.17);
5.5-Crer e confessar a Verdade (Rm.10.10);
5.6-Entregar-se àquele que não muda nem sofre algum tipo de variação (Tg.1.17).

Aceite a Cristo já ....

11/07/2012

Conselho Evangélico na França repudia teologia da prosperidade

CNEF
Não é de hoje que o ensino,conhecido como Teologia da Prosperidade,defendida, predominantemente, pelas igrejas neo pentecostais,causa muito desconforto e repúdio a muitos crentes e pastores no mundo inteiro.A pseudo doutrina foi propagada fortemente por Kenneth Hagin e idealizada E. W. Kenyon.Essek William Kenyon empenhou-se em apregoar a mensagem da salvação e a cura em Jesus e dava ênfase em aplicar a técnica do pensamento positivo,Kenyon não era pentecostal,fundou várias igrejas,e pastoreou outras,foi influenciado pela Ciência da Mente, Ciência Cristã e Metafísica do Novo Pensamento.Hoje é conhecido como pai da confissão positiva.

O propagador desse pensamento,Kenneth Hagin,foi muito estudado no mundo todo,através de sua literatura,e,no Brasil,seu maior discípulo é RR Soares que,em sua gráfica,não faltam títulos do pregador.A confusão neo pentecostal da teologia da prosperidade foi propagada no Brasil tanto por RR Soares como por Edir Macedo, e pelo casal Hernandes,da Renascer.

A análise dos Seminários Bíblicos e Centros de pesquisa da Fé,sempre questionaram a veracidade da Teologia da Prosperidade na Mensagem original da Bíblia.Os Conselhos de Pastores também não se calaram e, muitos, se manifestaram contrariamente a este ensino,repudiando-o.

Recentemente,na França,o Conselho Nacional dos Evangélicos da França (CNEF), que funciona como uma agência reguladora de doutrinas das Igrejas Evangélicas da França,tornou público seu repúdio a esta falsa doutrina e,também, tomou a iniciativa de ensinar a respeito dos erros contidos nela.Em Maio,o CNEF apresentou um documento elaborado por vários teólogos, tradicionais e pentecostais,que classificava essa prática como 'errônea' e que contém 'distorções' da mensagem cristã.O documento foi aprovado unanimemente e é uma postura mais enfática da Declaração de Lausanne III que,em 2010,foi promulgada por 4200 lideranças evangélicas do mundo inteiro criticando a teologia da prosperidade.

Sobre  acusações de 'instrumentalizar a Deus',colocando-o a serviço do fiel, 'ignorar a pedagogia de Deus na vida dos crentes',quando Deus quer,através de situações difíceis nos ensinar algo e colocar a prosperidade (física e material) no mesmo plano da salvação,a teologia da prosperidade foi repudiada pelo Conselho, que  apresentará os erros doutrinários e desvios desse ensino.

Que mais Conselhos venham agir como o CNEF !

02/07/2012

jesus cristo homem FALHA em profecia

A seita que cultua o 666 e tem um autointitulado Jesus Cristo homem como líder, falha em suas profecias.A igreja crescendo em graça,liderada pelo porto-riquenho  José Luiz de Jesus Miranda,com templos,inclusive no Brasil, vinha trazendo em Junho uma profecia feita por seu fundador e, nela, havia a afirmação de que o mundo seria governado pelo falso profeta,seu corpo seria transformado em ser glorificado,com corpo imortal e aniquilaria os que não acreditam na seita.Não precisa ser estudioso de Escatologia para saber que nada se cumpriu nesse festival de falsas profecias e heresias de satanás.O evento aconteceria em 30 de Junho.Assista o video:


Em todo esse momento de falsas profecias,o líder da seita levava seus fiéis a uma contagem regressiva para que o tal evento acontecesse.No youtube é possivel acessar videos onde a contagem regressiva é de 30, 25, 20 dias,até chegar ao penúltimo dia dessa palhaçada toda.Em um dos videos o falso Cristo diz:"depois não diga que não te disse..."

É verdade,com mais essa é fácil concluir que este se trata de mais um enviado de satanás com o intuito de corromper os Eleitos de Deus.


Compartilhe!