23/05/2014

EBD 2014 - 2º Trimestre: Lição 09 - O ministério de Pastor

- EBD das Assembléias de Deus, Data:01/Junho/2014 -
Ser pastor sempre foi uma tarefa árdua. Muitas são as demandas internas e externas da igreja local, entre elas o cuidado para com as pessoas do rebanho, visita a enfermos, questões relacionadas a administração eclesiástica e o constante desafio de se dedicar à oração, à pregação e ao ensino da Palavra de Deus. O dia a dia pastoral é desafiador a quem é vocacionado por Deus para apascentar. Somente pela graça e o amor do Pai é possível encarar tão grande responsabilidade. Por outro lado, uma liderança madura e servidora é imprescindível ao desenvolvimento da igreja local. Assim, a lição de hoje abordará esse importante ministério. [Curta-nos no facebook!]

I - JESUS, O SUMO PASTOR

1. Jesus é o pastor supremo. A expressão “grande Pastor das ovelhas”, que aparece em Hebreus 13.20, refere-se diretamente à sublimidade do Senhor Jesus como pastor no Novo Testamento. Marcado pela humildade e despojamento da sua glória, Ele foi chamado “grande” em seu nascimento (Lc 1.32). O adjetivo “grande” enfatiza o quanto o Nazareno é incomparável e mediador da nova aliança de Deus com os homens. Jesus Cristo é o supremo pastor em todos os aspectos. Ele venceu a morte e libertou o homem da prisão do pecado. Ele é Deus!

2. O pastor conhece as suas ovelhas. Em João 10.14, o adjetivo “bom” identifica Jesus como o pastor que por amor protege e cuida das ovelhas que lhe pertence. Por isso, Ele é o “bom Pastor”. Tal expressão designa ainda a intimidade entre o Sumo Pastor e as suas ovelhas. Estas não ouvem a voz de outro pastor. O bondoso Salvador conhece a sua Igreja por inteiro, e se relaciona com cada membro (Jo 10.5,15)*

3. O pastor dá a vida pelas ovelhas. Uma das principais fontes da economia israelita era o trabalho pastoril* Os pastores cuidavam das ovelhas para delas obterem o lucro diário. Este é o contexto de que se valeu o Senhor Jesus para referir-se ao ensinamento contido na expressão “o bom Pastor dá a sua vida pelas ovelhas” (Jo 10.11). Aqui, diferente dos pastores que garantiam o seu sustento no campo através do uso das ovelhas, o Mestre Jesus mostra a disposição em dar a própria vida pelo seu rebanho (Jo 10.15). Os verdadeiros pastores da igreja devem imitar o Sumo Pastor, Jesus. NEle não há jamais exploração alguma do rebanho, e isso deve servir de exemplo a todos aqueles que desejam ministrar à igreja do Senhor, tal como ensina a Palavra em 1 Pedro 5.2-4.


II - AS CARACTERÍSTICAS DO VERDADEIRO PASTOR

1. Um caráter íntegro. Entre outras coisas, o exercício pastoral envolve aptidão para ensinar, aconselhar e comunicar-se de forma clara com a igreja local. Porém, essas características não são validadas se o caráter do pastor não for íntegro. Uma das piores queixas que se pode ouvir acerca de um ministro é que sua palavra pastoral não se coaduna com a sua vida. Como pode o líder falar sobre honestidade e ser desonesto? De simplicidade e mostrar-se esbanjador? De humildade e comportar-se soberbo? A melhor palavra pastoral é a vida do pastor em sintonia com a mensagem do Evangelho que ele proclama (Mt 7.24-27; 23.2-36).

2. Exemplo para os fiéis e os infiéis. O texto bíblico de Timóteo 3.2,3, afirma que o bispo não deve ser dado ao vinho, espancador, cobiçoso de torpe ganância, contencioso ou avarento; a recomendação é que o obreiro seja moderado. A Igreja, o Corpo de Cristo, precisa contemplar em seu líder sinais claros do fruto do Espírito, tais como autocontrole, mansidão, bondade e amor. Estas características denotam idoneidade moral e maturidade espiritual. A mesma postura moral que o pastor atesta aos fiéis deve ser demonstrada, igualmente, aos infiéis (1 Tm 3.7).



3. Exemplo para a família. Não podemos esquecer que antes de ser exemplo para igreja local, e com os de fora, o ministro do Evangelho, em primeiro lugar, deve ser o exemplo para a sua própria família — sua primeira comunidade e igreja. Governar a própria casa com modéstia e equilíbrio, criando seus filhos com respeito (1 Tm 3.4), é o testemunho que toda a família cristã deseja experimentar na convivência sadia com o pastor que é esposo, pai e avô. Portanto, todo obreiro deve cuidar bem do seu lar, pois sem o devido respaldo deste, o seu ministério jamais terá credibilidade.


III - O MINISTÉRIO PASTORAL

1. A missão do pastor. O termo pastor (do gr. poimên) no Novo Testamento tem o significado de “apascentador de ovelhas”. De acordo com esta definição podemos afirmar que a principal missão de um ministro é cuidar das pessoas que receberam Cristo como Salvador dando-lhes alimento espiritual através do ensino da Palavra de Deus, como encontramos no livro do profeta Isaías (Is 40.11). O verdadeiro pastor cuida das ovelhas com zeloso amor e compaixão, entregando-se totalmente às suas demandas.

2. Uma missão polivalente. A missão pastoral também é múltipla, pois o ministério envolve o ensinamento, o aconselhamento, a evangelização e missões, bem como a pregação expositiva da Palavra de Deus, que é o seu mais importante empreendimento- Para além dessas responsabilidades, o pastor age como o bom conciliador e administrador eclesiástico dos bens e recursos humanos disponíveis para toda boa obra da igreja local. Está sob os seus cuidados a gestão eficiente e honestados bens materiais, patrimoniais e das finanças da igreja local.


3. O cuidado contra os falsos pastores. Quando Deus levantou Ezequiel como profeta de Israel, Ele ordenou-lhe que repreendesse os pastores infiéis da nação. O Altíssimo considerava como falsos pastores os que apascentavam a si mesmo e não as ovelhas (Ez 34.2c); exploravam o rebanho e não o poupavam (34.3); não demonstravam amor pelas ovelhas, fazendo com que elas se dispersassem (34.4-6).O próprio Deus é contra os falsos pastores (Ez 34.8-10)! Ele inspirou o apóstolo Paulo a escrever para Tito quando da sua instrução pastoral ao jovem obreiro, que este retivesse “firme a fiel palavra, que é conforme a doutrina, para que seja poderoso, tanto para admoestar com a sã doutrina como para convencer os contra dizentes. Porque há muitos desordenados, faladores, vãos e enganadores [...] aos quais convém tapara boca” (Tt 1.9-11).


CONCLUSÃO

O dom ministerial de pastor é concedido àqueles a quem Deus chama para servir ao seu precioso rebanho, a Igreja de Jesus. Esta acha-se espalhada nas igrejas locais que reúnem crentes oriundos de todos os lugares do mundo. Eles estão sob os cuidados de líderes para serem alimentados com a Palavra de Deus. O objetivo do ministério pastoral é fazer com que o rebanho do Senhor cresça na graça e no conhecimento do Evangelho de nosso Salvador (2 Pe 3.18). Portanto, o pastor precisa da graça divina para não fracassar em seu ministério. Oremos pelos pastores, compreendamos as suas lutas e os apoiemos com amor e carinho.




::VOCÊ PODE BAIXAR ESTA LIÇÃO EM PDF GRATUITAMENTE ::
OBS:: REDUZIMOS O COMENTÁRIO A 02 (duas) PÁGINAS EM PDF PARA FACILITAR A IMPRESSÃO DOS IRMÃOS, PORÉM NÃO REDUZIMOS O CONTEÚDO! O ARQUIVO POSSUI O COMENTÁRIO E AS RESPOSTAS.


* * * *

VOCÊ PODE RECEBER TODAS AS ATUALIZAÇÕES DA ESCOLA DOMINICAL INSCREVENDO-SE AO FIM DESTA PÁGINA E, TAMBÉM, CURTINDO NOSSA FAN PAGE NO FACEBOOK, CURTA! [Aqui]

INDIQUE ESTA PÁGINA AO FIM DESTE POST E PROPAGUE A PALAVRA DE DEUS COM SEUS AMIGOS! LEMBRE-SE: "Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos." (Marcos 8.38)

22/05/2014

Deputado evangélico quer proibir,pela Lei, a marca da besta

O deputado federal missionário José Olímpio (PP-SP), da Igreja Mundial do Poder de Deus, apresentou um projeto de lei que visa impedir o surgimento de uma “satânica Nova Ordem Mundial”.

O controverso projeto de lei foi apresentado na Câmara dos Deputados na última quarta-feira, 14 de maio, sob o argumento de que o Poder Legislativo deve se antecipar à possibilidade do “fim do mundo”, proibindo que a “marca da besta” seja concretizada com a implantação de chips nas pessoas.

“Tendo em conta que o fim dos tempos se aproxima, é preciso que o Parlamento brasileiro se antecipe aos futuros acontecimentos e resguarde, desde logo, a liberdade constitucional de locomoção dos cidadãos”, argumentou o missionário.

Segundo Olímpio, é urgente que “se proíba a implantação em seres humanos de chips ou quaisquer outros dispositivos móveis que permitam o rastreamento dos cidadãos e facilitem que sejam as pessoas alvo fácil de perseguição e toda sorte de atentados”. 
[Matéria e Imagem: Gospel+ site ]

Comentário:: Apenas uma observação: Este nobre missionário é pago com o dinheiro do povo de São Paulo, independente da opção religiosa deste cidadãos, logo, é uma ação que demonstra a não representatividade deste parlamentar aos seus eleitores, àqueles que deveriam sentir-se representados por ele! Qual a serventia de uma proposta desta, uma vez que profecias bíblicas nunca deixaram de cumprir-se através de intervenção humana? Naquilo que está determinado biblicamente, ocorrerá mesmo contra a vontade de quem quer que seja. Aliás, eu me pergunto outra coisa: O nobre missionário deputado excelentíssimo, agora está legislando para o período tribulacional??? Está ele atuando como um parlamentar da Frande Tribulação ou do Milênio? O que você acha? hein, hein? #aff 
Outra observação: Iria o capeta e o anticristo seguirem esta Lei? 


21/05/2014

Respostas da Lição 09 - O ministério de Pastor

1. A expressão “grande Pastor das ovelhas”, que aparece em Hebreus 13.20, está diretamente ligada a quê?
R: Ao valor que o Novo Testamento atribui ao Senhor Jesus.

2. De acordo com a lição, relacione as características do verdadeiro pastor.
R: Um caráter íntegro, exemplo para os fiéis e os infiéis e exemplo para a família.

3. Segundo o texto bíblico de I Timóteo 3.2,3, cite o que o pastor não pode ser.
 R: O texto bíblico de 1 Timóteo 3.2,3 afirma que o bispo não pode ser dado ao vinho, espancador, cobiçoso de torpe ganância, contencioso ou avarento; a recomendação é que o obreiro seja moderado.


4. Qual o significado do termo "pastor" no Novo Testamento?
R: “Apascentador de ovelhas".

5. Qual é a principal missão de um ministro?
R: Cuidar das pessoas que receberam a Cristo como salvador, dando-lhes alimento espiritual através do ensino da Palavra de Deus.

20/05/2014

Subsídios da Lição 09 - O ministério de Pastor

SUBSÍDIO I

“Viver como Pedro: A Supervisão Pastoral (5.1-11)

Dirigindo-se aos ‘estrangeiros’ (1.2) que haviam sido dispersos entre povos infiéis, e frequentemente hostis, Pedro inicia sua carta com um imperativo à vida santificada baseada no exemplo de Deus Pai (1.3—2.1 0). Pelo fato de muitos de seus leitores poderem sofrer injustamente e de modo abusivo nas mãos de cruéis agentes do governo, senhores ou maridos, na parte central e mais importante de sua carta Pedro manda que se submetam à autoridade e sofram, mesmo sem merecer, segundo o exemplo de Cristo (2.11-4.13). Nesta seção final da carta, Pedro dirige-se aos presbíteros [pastores], responsáveis pelo pastoreio do rebanho de Deus (5.1-4). Escrevendo como um presbítero [pastor] mais experiente, Pedro é seu modelo de liderança sobre o povo de Deus (5.1-11). Termina os ensinamentos com uma série de obrigações aplicáveis não só aos presbíteros, mas também a todo o povo de Deus (5.5-11)" 

(STRONS- TAD, Roger; ARRINCTON, French L. (Eds.) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Vol. 2: Romanos a Apocalipse. 4.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, p.921).


SUBSÍDIO II

Subsídio Teologia Devocional 

[...] Prioridades na Vida do Pastor Manter as prioridades em sua devida ordem é um dos maiores desafios que o pastor enfrenta. As muitas ocupações do pastorado constantemente pressionam os ministros a comprometer a oração, a vida devocional, a família e, às vezes, até o padrão moral exigido pela Palavra de Deus.

As prioridades do ministro do Evangelho devem estar nesta ordem: (1) seu relacionamento com o Senhor, (2) sua esposa e filhos e (3) seu ministério e trabalho. Acompanhe-me em alguns pontos de especial interesse no campo dessas três prioridades.

Seu relacionamento com o Senhor. Sua vida devocional é absolutamente decisiva. Anos atrás, pedi ao Senhor que pusesse em ordem meu horário, e Ele o fez. Todos os dias, das cinco às sete da manhã, estudo a Bíblia e oro. Tenho sido cuidadoso em observar esse tempo — o tempo mais precioso do meu dia. Meus pais deram-me o exemplo; seu devocional coincidia com as primeiras horas da manhã. Jesus dedicava as primeiras horas do dia à oração. O Salmista Davi disse: ‘Pela manhã, ouvirás a minha voz, ó Senhor; peia manhã me apresentarei a ti, e vigiarei’ (SI 5.3). Esta disciplina será fundamental em tudo o que você fizer e intentar realizar.

Seu relacionamento com a esposa e filhos. Alguns ministros ficam tão ocupados, que negligenciam as necessidades emocionais, alimentares e outras carências da família. Esposa e filhos podem ficar ressentidos contra o ministério, e mesmo contra Deus, tudo porque o chefe da família falhou em suprir-lhes as necessidades básicas. Isso é trágico. Já faz tempo que determinei que não vou ganhar para o Senhor os filhos dos outros e perder os meus. O Senhor nos tem ajudado — a mim e a Shirley— nessa prioridade. [...] Paulo instruiu a Timóteo: ‘Se alguém não sabe governar sua própria casa terá cuidado da igreja de Deus?”

(CARLSON, Raymond; TRASK, Thomas (et ali.). Manual Pastor Pentecostal: Teologia e Práticas Pastorais. 3.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2005, p. 17).

15/05/2014

Resumo da Lição 07: O ministério de profeta

Resumo geral da Lição 07: O ministério de Profeta (18/Maio/2014)

O profeta do Antigo Testamento era a pessoa incumbida para falar em nome de Deus. O Altíssimo fazia dele o seu porta-voz, um embaixador que representava os interesses do reino divino na Terra. Quando Deus levantava um profeta, designava-o a falar para toda a nação israelita, e até mesmo a povos ou nações estranhas Gr 1.5).Num primeiro momento, o profeta exercia um importante papel de conselheiro no palácio real (Natã,  cf. 2 Sm 12.1; 1 Rs 1.8,10,11). Contudo, após a divisão do reino de Israel, o profeta passou a ser perseguido, pois sua profecia confrontava diretamente a prepotência da nobreza, a dissimulação dos sacerdotes e a injustiça social Jr 1.18,19; 5.30,31; Is 58.1-12). [Curta-nos no Facebook!]

O profetismo. De acordo com o Dicionário Teológico (CPAD), o profetismo foi um movimento que surgiu no período aproximado do século VIII a.C. tanto em Israel quanto em Judá. O objetivo desse movimento era “restaurar o monoteísmo hebreu”, “combatera idolatria”, “denunciar as injustiças sociais”, “proclamar o Dia do Senhor” e “reavivar a esperança messiânica”. Foi nesse tempo que os verdadeiros profetas em Israel foram cruelmente surrados, presos e mortos.

Não por acaso, o termo “profeta” aparece na segunda posição da lista apresentada em 1 Coríntios 12.28; Efésios 4.11. O profeta é identificado três vezes na epístola aos Efésios como alguém que acompanhava os apóstolos (2.20; 3.5; 4.11). No Novo Testamento o ministério profético não consistia em predizer o futuro, adivinhar o presente ou ficar fora de si. Apesar de ele algumas vezes predizer o futuro, conforme instrui-nos a Bíblia de Estudo Pentecostal seu ofício consiste em proclamar e interpretar a Palavra de Deus, por vocação divina, com vistas à admoestação, exortação, ânimo, consolação e edificação da igreja (At 3.12-26; 1 Co 14.3).No Novo Testamento o profeta é chamado por Deus a levar a igreja de Cristo a uma plena maturidade cristã, pois como um organismo vivo, a Igreja, o Corpo de Cristo, deve desenvolver-se para a edificação em amor (v.16). [Curta-nos no Facebook!]

Uma advertência séria de Jesus para os seus discípulos foi acerca da precaução com os falsos profetas. Como reconhecê-los? Jesus disse que os reconheceríamos “pelos seus frutos” (Mt 7.15,20). Lembre-se de que não devemos diferençar o verdadeiro profeta do falso pela “performance” ou pelo “espetáculo”, mas pelos frutos que eles produzem.




Desesperada, Dilma ficará juntinho de Edir Macedo

Dilma Rousseff irá à inauguração do Templo de Salomão para ter apoio do bispo Edir Macedo nas eleições, diz jornalista

A inauguração do Templo de Salomão, da Igreja Universal do Reino de Deus, contará com a presença da presidente Dilma Rousseff (PT), candidata à reeleição.

De acordo com informações do jornalista Lauro Jardim, da revista Veja, Dilma irá prestigiar a inauguração do megatemplo como forma de estreitar os laços com o único líder evangélico que a apóia: bispo Edir Macedo.

“A aproximação com a Igreja Universal é, por enquanto, o único ativo de Dilma com os evangélicos para a campanha eleitoral. Desde 2010, o PT tem dificuldade de lidar com o segmento”, escreveu Jardim.

O Templo de Salomão é uma réplica aumentada do templo descrito no Velho Testamento, e até o final de 2013, a Universal havia gasto R$ 413 milhões na construção. A inauguração está agendada para o dia 31 de julho, após a Copa do Mundo. [Matéria do Gospel+ (site) ]

Comentário:: Realmente a política é uma coisa muito curiosa, há alguns anos atrás havia um certo distanciamento da presidência da República aos evangélicos, evitando associação entre este grupo religioso. Com a patente demonstração de insatisfação generalizada do povo brasileiro, identificada recentemente nas pesquisas de diversos institutos, mostrando a queda da 'vantagem' da mancha vermelha petista de Dilma - o 'poste de Lula' - agora vale qualquer negócio! Nenhum dos grandes líderes, que outrora apoiavam com entusiasmo a possibilidade de uma Social Democracia neste País, agora parece que abriram os olhos e viram o grande dano que esta esquerda petista representa, muito mais que desconstrução de valores familiares, tradicionais, etc, chegaram à conclusão de que manter este grupo no poder é uma total derrota ao povo brasileiro. Como muitos líderes não possuem o mínimo de vergonha na cara, não é difícil observarmos apoiando a continuidade do atraso que se estabeleceu no Brasil. Diante disto, apenas nos resta rogar a Deus que nos guarde!

Mais sobre o dom e ministério de Evangelista

Evangelista

Do grego, quer dizer: Mensageiro de boas novas.

O evangelista desempenha a obra de um missionário, levando o Evangelho a lugares onde é ainda desconhecido. Filipe, um dos sete diáconos (Atos 6.5),tornou-se evangelista (Atos 21.8). Trata-se de uma ordem de ministério distinto e bem caracterizado, separada da dos apóstolos, profetas, pastores e mestres,Ef. 4.11. O apóstolo Paulo exortou a Timóteo: Faze o trabalho de evangelista, 2 Timóteo 4.5. No evangelista, a paixão pelas almas atinge o ápice e consumação na forma dum ministério que domina e absorve toda a vida. Chamam-se atualmente, os escritores dos quatro evangelhos, evangelistas. 


* Extraído de :: Pequena Enciclopédia Bíblica, pág. 213 (Evangelista) [Adaptado] - Orlando Boyer, CPAD.

14/05/2014

Lições da Escola Dominical no 4shared

A paz a todos! 

Pessoal, tenho visto muitos irmãos com dificuldade de acesso do material da EBD e, visando ajudar aos alunos e professores que,por qualquer motivo não têm acesso a este material, estamos disponibilizando no Blog Verdade Profética, gratuitamente as lições em PDF no 4shared, bem como no Google Drive. Temos por hábito colocar as lições sempre uma semana antes da data prevista da ministração.

Em minha página pessoal no Google Drive você pode acessar a pasta "Escola Dominical" e solicitar as lições que estarei enviando;

Já no 4shared você pode baixar diretamente,sem nenhuma senha!

Acessando, deixe um comentário, valeu? 


Subsídios da Lição 08: O ministério de Evangelista

Subsídio I

“A palavra [evangelista] é 

encontrada três vezes no Novo Testamento. Os evangelistas estão relacionados junto com os apóstolos, profetas, pastores e doutores, como aqueles que são chamados para compartilhar a construção da igreja (Ef 4.11ss). Filipe foi chamado de evangelista' (At 21.8). Embora fosse um dos sete escolhidos para aliviar os apóstolos da tarefa de distribuir alimentos (At 6.5), ele foi especialmente notado por sua atividade evangelizadora. De Jerusalém, ele foi até Samaria e pregou com grande sucesso (At 8.4ss). Dali, foi enviado para evangelizar um oficial da corte etíope, que estava viajando para casa depois de visitar Jerusalém (At 8.26ss). Então pregou o Evangelho desde Azoto até Cesárea, onde tinha sua casa (At 8.40; 21.8)” 

(PFEIFFER, Charles F.; REA, ohn; VOS, Howard F. (Eds,). Dicionário Bíblico Wycliffe. 1 ed. Rio de janeiro: CPAD, 2009, pp.725,26).

Subsídio II

“O Evangelho do Reino

A mensagem de Jesus inclui um chamado ao arrependimento, semelhante ao de João Batista (Mc 1.4). Donald English adverte quanto ao perigo de entender o arrependimento de uma forma estreita demais, como os pregadores evangélicos o fazem geralmente* Ele declara: ‘Fundamentalmente isso significa uma mudança de direção, dar meia volta, mudar a mente’. Quando respondemos ao evangelho, mudamos a direção da nossa vida em que deixamos de confiar no ‘eu’ e outros ídolos para confiar em Deus.


Contudo, tanto João Batista quanto Jesus foram bem específicos em relação às coisas das quais as pessoas precisam se arrepender. João disse a distintas categorias de pessoas as diferentes maneiras como podiam expressar seu arrependimento. Ele disse para as multidões: ‘Quem tiver duas túnicas, que reparta com o que não tem, e quem tiver alimentos, que faça da mesma maneira’. João Batista pediu aos publicanos para não coletar mais do que estavam autorizados a pegar. Disse aos soldados: 'A ninguém trateis mal, nem defraudeis e contentai-vos com o vosso soldo’ (Lc 3.7-14). Jesus disse ao jovem rico para vender tudo o que tinha e dar o dinheiro aos pobres, para depois disso vir e segui-lo (Le 1 8.22-25). As coisas específicas ajudam as pessoas a entender o que o arrependimento envolve.

Tanto João Batista quanto Jesus também foram diretos em advertir seus ouvintes das consequências de não se arrepender. Sabemos que a maioria das declarações da Bíblia sobre o inferno saiu dos lábios de Cristo. [Como] Paulo disse [...] (1 Co 6.9,10).

Hoje, muitos de nossos ouvintes reagiriam de modo muito negativo se falássemos da maneira que Jesus e Paulo falavam. Desenvolvemos uma atitude em relação à nossa vida privada que quando os pregadores mencionam especificamente pecados que exigem arrependimento, eles são acusados de ser intrometidos e de estar, de algum modo, fazendo algo inapropriado” 

(FERNANDO, Ajith. Ministério dirigido por Jesus. 1 .ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2013, p.128).

13/05/2014

Parlamentares evangélicos receberam doações de empresas investigadas no escândalo da Petrobrás

A Petrobrás, maior empresa brasileira, vive uma fase de exposição pública de escândalos de corrupção e agora uma parte dos holofotes recai sobre parlamentares da bancada evangélica que integram uma lista de beneficiados por empresas fornecedoras da petroleira que estão sendo investigadas pela Polícia Federal.

Entre os 121 parlamentares que receberam doações de campanha dessas empresas, estão nomes como Eduardo Cunha (PMDB-RJ), Marcelo Aguiar (DEM-SP), Benedita da Silva (PT-RJ), Magno Malta (PR-ES), Marcelo Crivella (PRB-RJ), Walter Pinheiro (PT-BA), entre outros.

De acordo com a revista Veja, a Polícia Federal descobriu que os “grupos empresariais ambicionavam estabelecer relações com um espectro amplo de partidos e políticos” e que “um em cada cinco deputados e um em cada três senadores eleitos receberam alguma doação oficialmente das empresas” ligadas de alguma forma ao esquema de corrupção do doleiro Alberto Yousef ou ao ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa.

O total doado pelas empresas fornecedoras da Petrobrás chegou a R$ 852 milhões entre os anos de 2006 a 2012. Entre os partidos que mais receberam doações, o PT puxa a fila com R$ 12,6 milhões, seguido pelo PP, R$ 4,4 milhões; PMDB, R$ 3 milhões; Democratas, R$ 2,9 milhões; e PSDB, R$ 2,3 milhões.

O deputado evangélico Eduardo Cunha aparece como recebedor de R$ 500 mil em doações do grupo de empresas. Já o cantor gospel Marcelo Aguiar recebeu R$ 100 mil, enquanto Benedita da Silva, R$ 3 mil.

A deputada Bruna Furlan (PSDB-SP), ligada à Congregação Cristã no Brasil e filha do ex-prefeito de Barueri, aparece como beneficiada das empresas em R$ 400 mil. O senador Magno Malta, postulante à presidência da República, teria recebido R$ 200 mil em doações, assim como seu colega Walter Pinheiro. O pré-candidato ao governo do Rio de Janeiro, bispo Marcelo Crivella, teria recebido R$ 100 mil.

O Congresso tem dado andamento à instalação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar os fatos em torno do esquema, mas há quem se preocupe com a eficácia das investigações, uma vez que boa parte dos membros da Câmara e do Senado estão envolvidos de alguma forma.

“Não significa que todos vão defender os interesses desses grupos, mas, em qualquer decisão que se tome, tem que ser analisado se os parlamentares não servem aos interesses de financiadores. Isso só pode ser verificado na atuação concreta”, comentou Claudio Weber Abramo, diretor-executivo da ONG Transparência Brasil.


Fonte:: Gosel+ [site]

Respostas da Lição 08: O ministério de Evangelista

1. Segundo a lição, qual a consequência para quem proclama o Evangelho num mundo contrário ao Reino de Deus?
R: Os arautos de Cristo serão perseguidos.

2. De acordo com a lição, qual o verdadeiro significado de desfrutar da alegria no Espírito?
R: O verdadeiro significado de alegria no Espírito não é ver milagres, mas saber que através da exposição do Evangelho temos os nossos nomes escritos nos céus (v.20).


3. O que é a Grande Comissão?
R: É o apelo de Jesus para os discípulos anunciarem o Evangelho até as últimas consequências.

4. Qual é o papel dos evangelistas?
R: O evangelista exerce o papel de pregador das boas novas de salvação. Através do seu anúncio, vidas são alcançadas e reconduzidas a Deus.

5. Qual a finalidade do ministério de evangelista?
R: Preparar os santos do Senhor para uma vida de serviço, bem como à edificação do Corpo de Cristo (Ef 2.20-22).

12/05/2014

EBD 2014 - 2º Trimestre: Lição 08 - O ministério de Evangelista

Lição de número 08 da Escola Dominical, a ser ministrada dia 25/Maio/2014 em todas as Assembléias de Deus no Brasil

O ministério de evangelista é dado por Deus à igreja como um dom valioso. Por isso, o estudaremos procurando vislumbrar como o Senhor Jesus o considerou, e como esse dom ministerial por Deus concedido é tratado em o Novo Testamento, bem como sua destacada operação nas igrejas de Corinto e Éfeso. Temos de Jesus a ordem para pregar o Evangelho, e em sua multiforme sabedoria Deus dispõe para a igreja o poder necessário para proclamar o Evangelho com ousadia.

I - JESUS ENVIA OS SETENTA (LC 10.1-20)

1. São poucos os que anunciam. Quando Jesus enviou os setenta para anunciarem as boas novas do Reino de Deus na região da Galiléia, Ele asseverou: “Grande é em verdade, a seara, mas os obreiros são poucos” (v.2). São poucos porque, primeiramente, os discípulos não podem proclamar a si mesmos ou uma mensagem própria. Em segundo lugar, porque os discípulos do Senhor são enviados a falar única e exclusivamente de Jesus e do Reino de Deus, jamais de si mesmos. Lamentavelmente, ao longo dos séculos, muitos foram aqueles que na Seara do Senhor falaram em seu próprio nome e pregaram a sua própria mensagem. Os discípulos segundo o coração do Nazareno ainda são poucos, mas o Senhor continua a convocar obreiros para a sua seara (v.2b).

2. Enviados para o meio de lobos. Proclamar o Evangelho num mundo contrário à mensagem do Reino de Deus certamente levaria os arautos de Cristo a serem perseguidos. Os setenta que Jesus enviou seriam rejeitados, perseguidos e até ameaçados de morte. A história da igreja nos mostra que pessoas pagaram com a vida por professar a fé em Cristo. Nas últimas décadas, mais cristãos foram mortos no mundo que em qualquer outra época da história da igreja. Os verdadeiros evangelistas enfrentarão ainda muitas perseguições, sobretudo em países dominados por religiões anticristãs e fundamentalistas. Eles são comparados a cordeiros que se dirigem para o meio dos lobos (v.3).

3. Os sinais e as maravilhas confirmam a Palavra. Os setenta discípulos receberam poder em nome de Jesus para pregar a mensagem do Reino de Deus com graça (vv.9,10; Mt 10.1,8). Quando voltaram da missão, os evangelistas, maravilhados e surpreendidos, diziam: Senhor, pelo teu nome, até os demônios se nos sujeitam (v.17). Mas naquele momento Jesus falou-lhes de uma realidade que eles não compreendiam: aquele poder era para confirmar a Palavra do Reino, não a palavra do homem. O verdadeiro significado de desfrutar da alegria no Espírito não é primeiramente ver milagres, mas saber que através da exposição do Evangelho de poder temos os nossos nomes escritos nos céus (v.20).

II - A GRANDE COMISSÃO (Mt 28.19,20; Mc 16.15-20)

1. O alcance da Grande Comissão. A ordem dada por Jesus aos seus discípulos, após a sua ressurreição, foi: "ide, ensinai todas as nações, batizando-as em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; ensinando-as a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado” (Mt 28.19,20). Esta ordem é chamada comumente de A Grande Comissão. É o apelo de Jesus para os discípulos anunciarem o Evangelho até as últimas consequências. Foi nesse “espírito” que o apóstolo Paulo encarou a tarefa da evangelização (1 Co 9.16).

2. O mundo está dividido em dois grupos. “Quem crer e for batizado será salvo; mas quem não crer será condenado” (Mc 16.16). Aqui, o Evangelho de Marcos destaca que há dois grupos de pessoas diante da mensagem de Jesus: Os que crêem e os que não crêem. Acerca da salvação, os Evangelhos não se preocupam com nacionalidade, raça, sexo ou condição socioeconômica do homem (Gl 3.28). Não há judeu, não há gentio (Rm 13.9,10, 23). Toda a humanidade é carente da graça de Deus e precisa decidir o seu futuro eterno crendo ou não no Evangelho.

3. A Grande Comissão hoje. A tarefa da evangelização do mundo está inacabada. Apenas 33% da população mundial é composta por cristãos das várias confissões de fé. Há regiões em que número de cristãos está diminuindo, como na Europa. Recentemente, na Alemanha, cerca de 340 igrejas fecharam as portas; em Portugal, quase 300. A Holanda e a Inglaterra são países considerados “pós-cristãos”. Ainda na Europa, cerca de 1500 templos cristãos foram transformados em mesquitas, restaurantes, bibliotecas e casas de shows. Se a Igreja não experimentar um real e poderoso avivamento espiritual, em poucas décadas a Europa se tornará muçulmana ou o cristianismo não mais a influenciará. Precisamos reevangelizar o continente europeu.

III - O DOM MINISTERIAL DE EVANGELISTA

1. O conceito de evangelista. O termo “evangelista” deriva do verbo grego evangelizo, isto é, transmitir boas novas (do evangelho). Como dom, refere-se àquele que é chamado para pregar o Evangelho. Foi concedido pelo Pai através de uma capacitação ministerial objetivando propagar o Evangelho de Cristo para toda a humanidade. O evangelista tem paixão pela salvação dos perdidos. Esmera-se por buscar da parte de Deus mensagens inspiradas para tocar os corações e quebrantar a alma dos pecadores.



2. O papel do evangelista. O evangelista é, por excelência, o pregador das boas-novas de salvação. Através da sua mensagem, vidas são alcançadas e conduzidas a Deus. Muitas vezes, o evangelista torna-se um plantador de igrejas, como tem ocorrido em diversos lugares do Brasil e pelo mundo afora. Um evangelista cheio da graça de Deus poderá tocar corações com a mensagem do Evangelho de modo tão convincente que leva o povo a crer e acatar as boas-novas da salvação e ao Salvador Jesus.

3. A finalidade do ministério do evangelista. Da mesma forma que o ministério do apóstolo e do profeta, o do evangelista tem por finalidade preparar os santos do Senhor para uma vida de serviço cristão, bem como à edificação do Corpo de Cristo (Ef 2.20-22). Por isso, espera-se desse obreiro que o fundamento do seu ministério seja Jesus Cristo, o nosso Senhor. Não pode haver outro fundamento, senão Cristo! O evangelista deve também, em tudo, ser sensível à voz do Espírito Santo. A exemplo de Filipe, o obreiro deve ser obediente ao Senhor, seja para pregar a multidões, seja para faiar a uma única pessoa (At 8.6,26-40). Outro aspecto importante desse ministério é a habilidade que o evangelista deve ter na transmissão das boas-novas. O arauto de Deus precisa ser capaz de responder à seguinte pergunta dirigida ao pecador: “Entendes o que lês?” (At 8.30).

CONCLUSÃO

O dom ministerial de evangelista é concedido por Deus a algumas pessoas conforme o propósito do Espírito Santo para o fortalecimento e a edificação lidas igrejas locais. Isto, porém, não significa desobrigar os crentes individualmente do labor da evangelização. Todo seguidor de Cristo, isto é, todo aquele que se acha discípulo de Jesus, tem em sua caminhada cristã o firme compromisso de propagar a mensagem do Evangelho. E deste compromisso não pode se apartar um único milímetro. Que Deus levante mais evangelistas para a sua grande seara!



::VOCÊ PODE BAIXAR ESTA LIÇÃO EM PDF GRATUITAMENTE ::
OBS:: REDUZIMOS O COMENTÁRIO A 02 (duas) PÁGINAS EM PDF PARA FACILITAR A IMPRESSÃO DOS IRMÃOS, PORÉM NÃO REDUZIMOS O CONTEÚDO! O ARQUIVO POSSUI O COMENTÁRIO E AS RESPOSTAS.


****

VOCÊ PODE RECEBER TODAS AS ATUALIZAÇÕES DA ESCOLA DOMINICAL INSCREVENDO-SE AO FIM DESTA PÁGINA E, TAMBÉM, CURTINDO NOSSA FAN PAGE NO FACEBOOK, CURTA[Aqui]

INDIQUE ESTA PÁGINA AO FIM DESTE POST E PROPAGUE A PALAVRA DE DEUS COM SEUS AMIGOS! LEMBRE-SE: "Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos." (Marcos 8.38)






REALIZAÇÃO:
Blog Verdade Profética

A grande comissão hoje

A Grande Comissão hoje 

A tarefa da evangelização do mundo está inacabada. Apenas 33% da população mundial é composta por cristãos das várias confissões de fé. Há regiões em que número de cristãos está diminuindo, como na Europa. Recentemente, na Alemanha, cerca de 340 igrejas fecharam as portas; em Portugal, quase 300. A Holanda e a Inglaterra são países considerados “pós-cristãos”. Ainda na Europa, cerca de 1500 templos cristãos foram transformados em mesquitas, restaurantes, bibliotecas e casas de shows. Se a Igreja não experimentar um real e poderoso avivamento espiritual, em poucas décadas a Europa se tornará muçulmana ou o cristianismo não mais a influenciará. Precisamos reevangelizar o continente europeu.

*Texto extraído da lição 08 da Escola Dominical na Revista de Jovens e Adultos "Dons Espirituais e Ministeriais" editado pela CPAD, , ministrada dia 25 de Maio de 2014.

05/05/2014

Relato do Pastor Cesino Bernardino em Camboriú

Conforme noticiado aqui,no Blog Verdade Profética, o Pastor Presidente da Assembléia de Deus em Camboriú(SC), falou sobre os escândalos envolvendo pregadores e cantoras que outrora passaram pelo Congresso ocorrido anualmente. No 32º encontro dos Gideões, o líder da Igreja desabafou e deixou claro o estado que muitos chegavam para pregar no Altar de Camboriú, afirmando que pregadores chegavam a pregar bêbados, num total desrespeito às coisas de Deus e,foi além, ao afirmar que houveram casos em que pregadores chegaram a se prostituir junto de cantoras que já se apresentaram no Congresso, e iniciou seu discurso dizendo que tem "sentido falta de pregadores que já passaram por ali". A seguir, trazemos o relato do Pastor Cesino, ocorrido neste Congresso Internacional de Missões dos Gideões Missionários da Última Hora,assista::




Pr. Enéas Tognini é homenageado pelos seus cem anos de vida

Na última quarta-feira (19) o pastor Enéas Tognini foi homenageado pelo Conselho de Pastores do Estado de São Paulo (CPESP) pelos seus 100 anos de vida. Com a presença de autoridades como o governador do Estado de São Paulo, Geraldo Alckmin, a homenagem aconteceu durante o café de pastores, na Igreja Batista do Povo, na Vila Mariana.

Durante o evento, Alckmin realizou um discurso em homenagem ao pastor, classificando-o como um sábio.

- Eu diria que o Enéas é o pastor de São Paulo. Ninguém chega a 100 anos se não for um sábio (…). É com muita alegria e admiração que trago o carinho do povo de São Paulo – afirmou o governador, segundo o portal Guiame.

Durante a homenagem, o pastor Enéas Tognini recebeu uma placa da CPESP pela comemoração de seus 100 anos de idade, e recebeu orações dos presentes no evento. A pregação durante o culto em que aconteceu a homenagem ficou a cargo do pastor Edson Rebustini, e a cantora Soraya Moraes ministrou um louvor e também deixou sua mensagem ao pastor.

- Foi uma honra muito grande poder louvar neste culto tão memorável. As pessoas que vieram jamais vão esquecer como esse homem, pastor Eneas Tognini, deixou que Deus o usasse na igreja, o avivamente que ele trouxe, a renovação. Poder vê-lo completar 100 anos de idade é um presente de Deus. Eu fiquei muito emocionada de louvar ao Senhor neste culto e creio que ele vai continuar sendo grande exemplo para nós no ministério – afirmou a cantora.

O pastor Jonathan Ferreira dos Santos, fundador do Vale da Bênção, também participou da homenagem, e ressaltou que Tognini teve uma grande importância em sua vida espiritual.

- O pastor Enéas Tognini me levou a um avivamento, uma renovação espiritual. Eu já era pastor, mas lendo a literatura dele eu recebi o Espírito Santo, ouve uma mudança muito grande na minha vida, e eu fico muito feliz em participar desta cerimônia – afirmou o pastor.

Créditos:: Imagem: Gospel+, Matéria: Dan Martins,em: Gospel+ .

EBD 2014 - 2º Trimestre: Lição 07: O ministério de profeta

Lição 07 da Escola Dominical, a ser ministrada dia 18 de Maio de 2014, em todas as Assembléias de Deus

“E a uns pôs Deus na igreja, primeiramente, apóstolos, em segundo lugar, profetas, em terceiro, doutores, depois, milagres, depois, dons de curar, socorros, governos, variedades de línguas” (1 Co 12.28).

A lição desta semana versa sobre o dom ministerial de profeta. Estudaremos alguns aspectos deste dom à luz da Bíblia, mas também considerando o contexto histórico e cultural do Antigo e do Novo Testamento.

O ministério de profeta é altamente importante para os nossos dias, pois de acordo com o ensino dos apóstolos, tal ministério tem um valor excelso para a igreja de qualquer tempo e lugar.

1 - O PROFETA DO ANTIGO TESTAMENTO

1. Conceito. O profeta do Antigo Testamento era a pessoa incumbida para falar em nome de Deus. O Altíssimo fazia dele o seu porta-voz, um embaixador que representava os interesses do reino divino na Terra. Quando Deus levantava um profeta, designava-o a falar para toda a nação israelita, e até mesmo a povos ou nações estranhas Gr 1.5). Ao longo de toda a história veterotestamentária o Senhor levantou homens e mulheres para profetizarem em seu nome: Samuel, o último dos juízes e o primeiro dos profetas para a nação de Israel (1 Sm 3.19,20), Elias e Eliseu (1 Rs 1 8.1 8-46; 2 Rs 2.1-25), a profetisa Hulda (2 Rs 22.14-20) e muitos outros, como os profetas literários Isaías, Jeremias e Daniel.


2. O ofício. Através da inspiração divina o profeta recebia uma revelação que desvendava o oculto, anunciava juízos, emitia conselhos e advertências divinas. Expressões como “veio a mim a palavra do Senhor” e “assim diz o Senhor” eram fórmulas usuais para o profeta começar a mensagem divina (Jr 1.4; Is 45.1). Símbolos e visões também eram formas de Deus falar através dos profetas ao seu povo Gr 31.28; Dn 7.1). Num primeiro momento, o profeta exercia um importante papel de conselheiro no palácio real (Natã, P cf. 2 Sm 12.1; 1 Rs 1.8,10,11). Contudo, após a divisão do reino de Israel, o profeta passou a ser perseguido, pois sua profecia confrontava diretamente a prepotência da nobreza, a dissimulação dos sacerdotes e a injustiça social Jr 1.18,19; 5.30,31; Is 58.1-12).

3. O profetismo. De acordo com o Dicionário Teológico (CPAD), o profetismo foi um movimento que surgiu no período aproximado do século VIII a.C. tanto em Israel quanto em Judá. O objetivo desse movimento era “restaurar o monoteísmo hebreu”, “combatera idolatria”, “denunciar as injustiças sociais”, “proclamar o Dia do Senhor” e “reavivar a esperança messiânica”. Foi nesse tempo que os verdadeiros profetas em Israel foram cruelmente surrados, presos e mortos.

Curta-nos no Facebook!!!


II-O PROFETA EM O NOVO TESTAMENTO

1. A importância do termo “profeta” em o Novo Testamento. Como já vimos, em Efésios 4.11 são mencionados cinco ministérios que exerciam papéis fundamentais na liderança da Igreja Antiga: apóstolo, profeta, evangelista, pastor e doutor. Não por acaso, o termo “profeta” aparece na segunda posição da lista apresentada em 1 Coríntios 12.28; Efésios 4.11. O profeta é identificado três vezes na epístola aos Efésios como alguém que acompanhava os apóstolos (2.20; 3.5; 4.11). A Bíblia afirma que os “concidadãos dos Santos e da família de Deus estão edificados sobre o fundamento dos apóstolos e dos profetas [...]” (Ef 2.19,20). Aqui, a Bíblia denota a importância do ministério de profeta na liderança da Igreja do primeiro século.

2. O ofício do profeta neotestamentário. Seu ministério no Novo Testamento não consistia em predizer o futuro, adivinhar o presente ou ficar fora de si. Não! De acordo com o Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento, o profeta neotestamentário era dotado por Deus para receber e mediar diretamente a Palavra do Altíssimo. Apesar de ele algumas vezes predizer o futuro, conforme instrui-nos a Bíblia de Estudo Pentecostal seu ofício consiste em proclamar e interpretar a Palavra de Deus, por vocação divina, com vistas à admoestação, exortação, ânimo, consolação e edificação da igreja (At 3.12-26; 1 Co 14.3). “Era dever do profeta do NT, assim como para o do AT, desmascarar o pecado, proclamar a justiça, advertir do juízo vindouro e combater o mundanismo e frieza espiritual entre o povo de Deus (Lc 1.14-17)". Por causa da mensagem de justiça que o profeta apresenta em tempos de apostasia e confusão espiritual, inclusive na igreja, não há outro jeito: ele fatalmente será rejeitado e perseguido por muitos.

3. O objetivo do dom ministerial de profeta. A função do profeta do Novo Testamento é apresentada por Paulo no mesmo bloco de versículos em que ele menciona os cinco ministérios em Efésios (4.1 1-16). Ou seja, o profeta é chamado por Deus a levar a igreja de Cristo a uma plena maturidade cristã, pois como um organismo vivo, a Igreja, o Corpo de Cristo, deve desenvolver-se para a edificação em amor (v.16). Para que tal seja uma realidade, os profetas do Senhor devem desempenhar suas funções, capacitados e dirigidos pelo Espírito Santo.

III – DISCERNINDO O VERDADEIRO PROFETA DO FALSO

1. Simplicidade x arrogância. Duas características do verdadeiro profeta são a simplicidade e o amor. Ainda que a Palavra seja de juízo, o coração do profeta transborda de amor e a sua conduta simples demonstra a quem ele está servindo: o Deus de amor. Lembremo-nos de Jeremias (38.1 4-27), Oséias (8.1 2) e do próprio Senhor Jesus (Mt 23.37). Já o falso profeta só pensa em si, em seu status e benefícios. Profetiza objetivando a autopromoção. Ele mente, ilude e engana. Lembremo-nos de Hananias, o profeta mentiroso que enfrentou Jeremias (Jr 28.10-1 2).

2. Pelos frutos os conhecereis. Uma advertência séria de Jesus para os seus discípulos foi acerca da precaução com os falsos profetas. Como reconhecê-los? Jesus disse que os reconheceríamos “pelos seus frutos” (Mt 7.15,20), pois o resultado, ou “fruto”, do que o profeta "diz” e “faz”, revela o seu caráter.Logo você conhecerá de onde procede a “árvore” (o profeta). Lembre-se de que não devemos diferençar o verdadeiro profeta do falso peia “performance” ou pelo “espetáculo”, mas pelos frutos que eles produzem.

3. Ainda sobre o falso profeta. Apesar de o falso profeta ser arrogante e iníquo, ele fala com grande eloquência, e isso basta para que ele seja tido como verdadeiro. Na obra Assim Diz o Senhor? (CPAD), John Bevere diz que falsos profetas “são aqueles que ministram em nome de Jesus nas nossas igrejas e conferências, os que partem o coração dos justos, [e que] embora o ministério seja apresentado em nome de Jesus, não é desempenhado pelo seu Espírito”. Não tenha medo! Na autoridade do Espirito de Deus, “acautele-se” dos falsos profetas. Seja prudente! O Espírito Santo mediante o Evangelho te fará discernir a procedência desses enganadores. Não se deixe conduzir por eles!

CONCLUSÃO

Acabamos de estudar o exercício do ministério de profeta no Antigo e no Novo Testamento. Vimos que tal ministério, juntamente com o dos apóstolos, era um dos pilares na liderança da Igreja do primeiro século (Ef 2.20). Apesar de ao longo da história da igreja o ministério de profeta ter perdido preeminência, sabemos o quanto ele é importante para a vida espiritual da Igreja de Cristo. O profeta do Senhor, com autoridade e sabedoria divina deve desmascarar as injustiças, o falso profetismo e primar pela edificação da Igreja do Senhor Jesus. Que Deus levante os legítimos profetas!


::VOCÊ PODE BAIXAR ESTA LIÇÃO EM PDF GRATUITAMENTE ::
OBS:: REDUZIMOS O COMENTÁRIO A 02 (duas) PÁGINAS EM PDF PARA FACILITAR A IMPRESSÃO DOS IRMÃOS, PORÉM NÃO REDUZIMOS O CONTEÚDO! O ARQUIVO POSSUI O COMENTÁRIO E AS RESPOSTAS.


****

VOCÊ PODE RECEBER TODAS AS ATUALIZAÇÕES DA ESCOLA DOMINICAL INSCREVENDO-SE AO FIM DESTA PÁGINA E, TAMBÉM, CURTINDO NOSSA FAN PAGE NO FACEBOOK, CURTA[Aqui]

INDIQUE ESTA PÁGINA AO FIM DESTE POST E PROPAGUE A PALAVRA DE DEUS COM SEUS AMIGOS! LEMBRE-SE: "Se alguém se envergonhar de mim e das minhas palavras nesta geração adúltera e pecadora, o Filho do homem se envergonhará dele quando vier na glória de seu Pai com os santos anjos." (Marcos 8.38)

LEIA TAMBÉM:








REALIZAÇÃO:
Blog Verdade Profética

04/05/2014

Respostas da Lição 07: O ministério de profeta

1. De acordo com a lição, defina o conceito de profeta no Antigo Testamento.
R: O profeta do Antigo Testamento era a pessoa encarregada de falar em nome de Deus.

2. O que foi o profetismo?
R: O profetismo foi um movimento que surgiu no período aproximado de VIII a.C. tanto em Israel quanto em Judá.

3. Quais são os cinco ministérios mencionados em Efésios 4.11?
R: Apóstolos, Profetas, Evangelistas, Pastores e Doutores.


4. Em que consistia o ofício de profeta no Novo Testamento?
R: Seu ofício consiste em proclamar e interpretar a Palavra de Deus, por vocação divina, com vistas à admoestação, exortação, ânimo, consolação e edificação da igreja.

5. Cite duas características do verdadeiro profeta.
R: A simplicidade e o amor.

*Deixe um comentário!

Subsídios da Lição 07: O ministério de profeta

Subsídio Teológico

“Os verdadeiros Profetas e os Falsos Profetas (7.15-23)

- O Evangelho de Mateus torna o fruto dos profetas a verdadeira prova de tais ministérios. O caráter é essencial. O evangelista comenta muitas vezes o tema de árvores boas e ruins e seus frutos; seu interesse em produzir justiça o compele a repetir o tema. João Batista fala que a Impenitência dos fariseus e saduceus é como árvores ruins (cf. Mt 3.8-12). Em Mateus 12.33,35 Jesus une a acusação dos fariseus (de que Ele faz o bem pelo poder do mal) com dar maus frutos e a chama de blasfêmia contra o Espírito Santo. [...] Em algumas comunidades a prova para as profecias lidava com a negação protognóstica da carne de Jesus Cristo (1 Jo 4.1-3) ou com o espírito de legalismo (Gl 1.8,9). Aqui Mateus identifica que o fruto do erro é o antinomismo, chamando estas pessoas de : ‘Vós que praticais a iniquidade’ (Mt 7.23). Mesmo que eles [os profetas] façam milagres, a doutrina e o estilo de vida são os critérios para discernimento” 


(STRONSTAD, Roger; ARRINGTON, French L. (Eds,) Comentário Bíblico Pentecostal Novo Testamento. Vol. 1. 4.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp.61-62).

*Os textos publicados neste Blog tem te ajudado de alguma forma? Comente! Gostaríamos de saber o que os irmãos têm achado daquilo que temos feito.

03/05/2014

Pr. Cesino fala dos escândalos no GMUH

Pastor Cesino Bernardino admite que pastores pregavam bêbados e se prostituíam com cantoras no Gideões Missionários

As denúncias feitas pelo pastor e rapper Juninho Lutero sobre os bastidores do Gideões Missionários da Última Hora foram confirmadas pelo líder do ministério, pastor Cesino Bernardino.

Durante uma das reuniões do 32º Congresso dos Gideões, que está sendo realizada em Camboriú (SC), Bernardino admitiu que havia pastores que compareciam ao evento embriagados e que ao final do dia, se encontravam com cantoras gospel em motéis.

“[Teve] gente que brincou muito, e vinha para esse púlpito fedendo a uísque, entendeu? Gente que vinha a esse púlpito e saía daqui e ia pro motel, brincando com gente que canta bonito também… Não brinque, porque Deus está tratando com cada um”, disse o pastor Cesino.

A denúncia sobre uso de drogas e prostituição foi feita pelo rapper Juninho Lutero através da música “Gideões: Prostitutas de Terno e Gravata”, onde o pastor acusa ainda a organização do evento de cobrar R$ 50 mil dos interessados em pregar no evento.

“Congresso dos Gideões é uma farsa, composta por pastores que cheiram pó e bebem cachaça. É claro que não falo de todos, mas homens de Deus ali dentro são bem poucos. Na verdade, Camboriú visa lucro e não missões. Zombam da fé alheia no palco dos Gideões”, diz trecho da música.

Ao tomar conhecimento da fala do pastor Cesino Bernardino, o rapper comentou o fato em sua página no Facebook: “Depois de provas e convencimento pelo Espírito Santo: o próprio líder dos Gideões admitiu publicamente que muitos pregadores subiram bêbados no altar e que se prostituíam com cantoras em motéis durante o congresso. Agora, vamos orar para que Deus sustente o pastor Cesino e lhe dê forças para dar um basta à babilônia eclesiástica que se tornou o GMUH. Vamos orar para que DEUS tome a direção mais uma vez deste congresso”, escreveu Lutero.




Matéria:: Gospel+ [site]


Redenção ao profano,será?

Editorial

Diante de diversas controvérsias produzidas no campo das religiões, não é incomum vislumbramos pessoas que não conseguem enxergar na prática de ensinos religiosos algo que o torne um ser mais iluminado. Não os preceitos sejam equivocados, ou ineficientes em si mesmo,mas, devido ao exemplo de vida de muitos religiosos, torna-se difícil aceitar submeter-se a um conjunto de doutrinas unicamente para tornar-se aceito, apenas para tornar-se mais um, apenas para ostentar um título de uma criatura portadora da luz divina, unicamente porque é religioso. A capa da religião tem sido, nestes dias, o motivo de muitos se tornarem aceitos pelos demais. Muitos,mesmo aqueles que têm uma vida pregressa duvidosa, de caráter questionável, tornam-se santos unicamente pois abraçaram um poder do alto, traduzido nas mais diversas religiões. Nesse momento,talvez, devêssemos olhar para seus frutos e não apenas por uma confissão,pois como sabemos, até mesmo os demônios e o próprio diabo, confessa a Cristo como Senhor (Tg. 2.19; Mt. 8.29). A verdadeira maneira de mostrar-se salvo, redimido, é assumindo uma conduta pautada nos ensinamentos de Jesus, qualquer tentativa de evidenciar a salvação que não passe por esta premissa, deve ser rejeitada. 

Realização:
Blog Verdade Profética

Compartilhe!