28/10/2012

A Presença do Espírito em nós

O Apóstolo Paulo,quando escreve aos Coríntios,principalmente na primeira Carta,deixa um questionamento aqueles crentes quanto aos conceitos básicos da Fé cristã,ele várias vezes pergunta:" Vocês não sabem...?". Quando trata de disputas judiciais entre irmãos,sobre a prática da injustiça, sobre a santidade,mostrando que são temas fundamentais da fé,ele se mostrou indignado de uma Igreja tão carismática(isto é,cheia de dons),ser,aos mesmo tempo,ignorante espiritualmente.Ao tratar da presença do Espírito no crente,o Apóstolo dos gentios ensinou que somos Templo Dele.

Deus,em Sua Palavra,mostrou que sua infinidade,que sua plenitude,não é suportada por casa alguma,não pode ser 'compactada',num Templo erguido por mãos humanas (At.7.48-50).O próprio Salomão,que empreendeu o mais glorioso Templo ao SENHOR,com o melhor desta terra,com ouro,pedras preciosas,e toda sorte de utensílios escolhidos,reconheceu que aquele Templo glorioso não era capaz,mesmo em todo seu esplendor,transmitir a Plenitude de Deus(1Rs.8.27).Ao mostrar que um Templo não era a habitação do SENHOR,a Palavra aponta para onde o Espírito deseja habitar e fazer moradia: na vida do cristão(2Co.6.16).Quando recebe a Cristo como salvador,o indivíduo torna-se habitação do Espírito Santo,ou seja, ele recebe o Espírito,que passa a habitar em sua vida(Rm.8.9).

Então,o Espírito Santo torna-se presente habitando na vida daquele que crê e,não somente isto,mas, é constante sua presença .Antes de Cristo,o Espírito não habitava nos fiéis,apenas vinha sobre eles e revestia de poder para uma obra específica e a glória de Deus(ou o Espírito) se manifestava constante no Santíssimo Lugar.Em Cristo,o Espírito não é um mero visitante na vida do cristão,mas,uma presença constante em nós, uma presença inseparável(1Jo.2.27).

O Espírito Santo é muito mais que uma fonte de dons e poder,faz parte de uma promessa divina que se cumpriria na vida do cristão com o objetivo de transformá-lo com um fluir sobrenatural(Jo.7.38-39).

15/10/2012

Dia dos Professores (Parabéns aos Mestres)


"2 e o que de mim [Apóstolo Paulo(*)] ouviste de muitas testemunhas, transmite-o a homens fiéis, que sejam idôneos para também ensinarem os outros."         (2 Timóteo 2)


Neste dia 15 de Outubro,é comemorado o Dia do Professor,além de ser Dia do Educador Ambiental e do Normalista.Aqui,na Cidade do Rio de Janeiro,é também,o dia do Comércio. Desde já o nosso parabéns a todas as categorias mencionadas,mas,de forma toda especial gostaria de escrever algo sobre o dia do Professor.

Num tempo onde o Professor é tido como uma categoria sem muito respeito na nossa sociedade,desvalorizada pelos Governos, desrespeitada pelos alunos, questionada pelos pais,não são poucos os fiéis que fazem jus à responsabilidade de ensinar,de ser um educador.

Lutas, batalhas e desilusões marcam,há muito tempo,o cenário da vida profissional daqueles que se dedicam a ensinar.A luta por um piso Nacional justo e que respeite a formação do profissional já faz parte da vida daqueles que optaram por transmitir conhecimento àqueles que serão os agentes que decidirão os rumos da sociedade que vivemos.A categoria,hoje,conta com um piso nacional de R$ 1451,oo ,por 40 horas semanais.Esta remuneração,diga-se de passagem,chega a ser inferior a muitos cargos públicos de nível médio com,inclusive, concursos abertos,então,a ideia que passa é que o mestre se forma na Academia e,ao possuir seu diploma de nível superior,vê que todo o seu esforço,seus gastos,seu estudo,seus 4 anos investidos (ou mais?) para nada prestam se levado em consideração o reconhecimento que receberá.

Na questão do piso Nacional para a categoria,muitos municípios e Estados se movimentaram no intuito de tentar burlar,ou de alguma maneira impedir esse crescimento nos 'gastos' com os Professores.No Rio,por exemplo,o Governador Sérgio Cabral (PMDB) apresentou um recurso que muda a forma como o piso do Professor é reajustado,esse e outros pontos, deflagrou uma greve este ano.A campanha (#NegociaCabral ) resultou em acordos que trouxeram ao fim a greve dos Docentes,restando apenas,o cumprimento dos acordos estabelecidos pelo Governo.O tempo que a greve se manteve mostra como os Governos tratam a questão da Educação Pública,não somente no Rio,mas, em todo o Brasil onde fácil observar o total descaso com o tema Educação por parte daqueles que deveriam gerenciá-la.

A missão,porém,mantêm-se como a bandeira arvorada pelo Mestre,e tem como foco a formação plena do indivíduo enquanto Ser capaz de questionar, fundamentar, planejar e decidir,por meio de uma análise concreta dos conceitos aprendidos, os rumos que tomará em sua vida,ou seja, colaborar com o indivíduo para sua formação Cidadã Plena.As dificuldades que surgem no caminho daquele que ensina não podem,de maneira nenhuma, ofuscar a glória que é a consumação de todo o trabalho daquele que se empenhou em formar Cidadãos,surgem,sim, as dificuldades,as pedras, os que não entendem,mas, o resplendor da vossa Missão não pode ser mensurada de forma superficial.A estes que surgem como os agentes facilitadores do Ensino,o nosso obrigado,o nosso respeito, o nosso agradecimento!

*Como não poderia deixar de ser,colocamos um texto Bíblico para a reflexão neste Dia tão memorável.*

A todos os Professores: Parabéns aos senhores !

Crédito(s):Imagem - Blog Dasbenitas
                 (*) Acréscimo do Editor

A presença constante do Espírito Consolador



"16 E eu rogarei ao Pai, e ele vos dará outro Ajudador, para que fique convosco para sempre.
17 a saber, o Espírito da verdade, o qual o mundo não pode receber; porque não o vê nem o conhece; mas vós o conheceis, porque ele habita convosco, e estará em vós." (João 14)

Por meio do sacrifício de Cristo no Calvário,a maneira de Deus relacionar-se conosco mudou. Se,na Antiga Aliança,apenas o sumo sacerdote poderia apresentar-se no santuário do Espírito Santo e,mesmo assim,em tempos específicos,todos nós, hoje podemos,e somos incentivados pela Palavra de Cristo a tornar-nos morada do Espírito .Na leitura inicial de João 14.17,é muito clara a maneira que nosso relacionamento com o Espírito se daria;nos tornaríamos,nas Palavras de Cristo,habitação ,morada, do Seu Espírito.

Ao exercer seu ministério terreno,Cristo percebeu a fragilidade humana na própria carne,mesmo sendo filho de Deus,unigênito do Pai,viu a dificuldade do homem manter-se fiel a Deus,em sua presença.Como homem,chegou a dizer que o Pai o havia abandonado, evidenciando a natureza humana do Cristo.Tais momentos onde Jesus mostra claramente sua natureza humana que leva a muitos a questionarem a veracidade de sua divindade,nos mostram como a carne atua até nos homens mais espirituais e,neste caso,no próprio Filho de Deus.

Cristo viu,pela natureza humana que carregou e,também,pela postura dos discípulos,a extrema necessidade de  que o homem tivesse ao seu lado a presença constante de Deus ao seu lado,diferente do tempo da Lei,onde o que cria não mantinha um relacionamento íntimo com o SENHOR,apenas algo superficial e temporário.Era,então necessário que fosse gerado no cristão uma natureza espiritual,ou seja,um conjunto de características geradas pelo Espírito Santo que evidenciassem o novo nascimento,a fim de que aquele que esteja na presença de Cristo vença suas próprias limitações diante da caminhada cristã.O Senhor Jesus dessa forma mostrou que não bastaria ao fiel ter a presença do Espírito Santo num Templo, num Tabernáculo, ou no Monte,mas,a solução para que o cristão se mantivesse (mantenha) fiel à presença de Deus é tornar-se habitação dessa presença.

Apresentado em João 14.16 como Consolador,a Terceira Pessoa da Trindade já manifestava sua operação na Antiga Aliança,porém, o trabalho do Espírito sempre foi de forma invisível e na profundeza do interior do homem,a ação do Espírito é sempre dinâmica,dando vida à criação,o 'sopro',é Ele quem sustenta o homem(Gn2.7).Como Consolador dos fiéis o Espírito atua como direcionador, guia, socorro, mantendo-nos firmes na fé(Jo.14.18).

O Espírito Santo também é:
  1. Guia (At.8.29): Direciona por onde devemos andar e a maneira de proceder.Filipe,ao receber a ordem de ir ao eunuco etíope,foi direcionado na maneira que deveria realizar aquela obra;
  2. Intercessor(Rm.8.26-27):Na nossa limitação,o Espírito é quem intercede por nós junto ao Pai;
  3. Justificador(1Co.6.11):O Espírito é quem nos justifica de todos os erros que cometemos.
O Espírito Santo é aquele que deseja manter um relacionamento íntimo conosco,de forma a habitar em nós e agir de forma soberana em nossas vidas.Deixe o Espírito habitar em você!

*  *  *  

13/10/2012

A Atitude da Salvação



Sabendo que a salvação é algo operada por Deus,uma dádiva Dele (Jr.3.23), devemos atentar para o fato de que nós temos a responsabilidade de cuidar desta salvação concedida pelo Altíssimo.Deus derrama a salvação a nós como uma dádiva conquistada por Cristo na cruz(Ap.7.10) e nós temos de ter o compromisso de permanecer na salvação que Cristo nos concedeu(Fp.2.12).Tal salvação não é mantida,como muitos acreditam,apenas com o elemento '',mas, principalmente,com outro elemento,que está em menos evidência nos dias de hoje: a santidade.

"12 De sorte que, meus amados, do modo como sempre obedecestes, não como na minha presença somente, mas muito mais agora na minha ausência, efetuai a vossa salvação com temor e tremor." - (Fp.2.12)


O tema salvação na Bíblia é apresentado em 3 tempos:passado,presente e futuro.A salvação,quando relaciona-se com o passado,aniquila tudo que era contrário a nós,tudo aquilo que nos tornava indignos de justificação diante de Deus e nos acusava(Cl.2.14),no presente,livra-nos da culpa pelo pecado,justificados pelo sangue de Cristo,onde temos comunhão com o Espírito(1Co.1.9) e,no futuro,a salvação garante que não seremos condenados com o mundo pelo juízo divino,ou seja,seremos salvos da condenação eterna (Jd.23).

"14 e havendo riscado o escrito de dívida que havia contra nós nas suas ordenanças, o qual nos era contrário, removeu-o do meio de nós, cravando-o na cruz." - (Cl.2.14)



Então,percebemos que a Salvação opera de forma a mudar completamente nossa vida,perdoando nosso passado de erros,sendo gerados para uma vida nova em Cristo,com uma perspectiva celestial.Uma vez que o indivíduo é [e está] salvo,pelo sangue de Jesus, logo passa a ter compromisso com o Reino de Deus e,inevitavelmente, com o Corpo de Jesus (que é a Igreja).Ora,a fé que gera a Salvação no indivíduo é a mesma que traz obediência à Palavra de Cristo(Hb.5.9) a fim de que permaneçamos na Salvação,em santidade(Rm.1.5).

"9 e, tendo sido aperfeiçoado, veio a ser autor de eterna salvação para todos os que lhe obedecem." - (Hb.5)



Uma vez que somos salvos por Deus,as obras geradas pela salvação devem ser cultivadas. Uma vez que somos gerados pelo SENHOR, devemos,então,abrir mão das velhas atitudes,das atitudes do velho homem,as quais foram cravadas por Jesus Cristo na cruz do Calvário (Ef.4.22) e agir da forma que Cristo nos ensinou em sua Palavra.Ao ser salvo,o homem é levado a um comportamento diferenciado,não se tratando apenas formalismo, mas,uma real regeneração que gera na pessoa uma ruptura com os erros do passado,uma quebra nos comportamentos que não glorificavam a Deus.Quando Deus nos salva ele só o faz para na nossa vida o Reino Dele seja evidenciado,através da santidade(1Ts.4.7).

"7 Porque Deus não nos chamou para a imundícia, mas para a santificação." - (1Ts.4)
*  *  *

06/10/2012

Teu governante, TEU reflexo...


"6-Aprovarei os que são fiéis a Deus e deixarei que morem no meu palácio.Aqueles que vivem uma vida correta poderão trabalhar para mim.7-Nenhum mentiroso viverá no meu palácio; nenhuma pessoa fingida ficará na minha presença." (Salmo 101)

Certamente que fazer escolhas é algo muito difícil.Avaliar opções,prevendo e supondo possíveis resultados,os quais julgamos favoráveis,é uma tarefa muito complicada uma vez que aquilo que aparentemente tem tudo para dar certo pode,da noite para o dia,ruir, cair por terra,mesmo com toda a avaliação de risco que fizemos ao tomar esta ou aquela decisão.Entretanto,pior que precisar escolher entre uma e outra (ou outras) opções que envolvem situações da vida, da família, etc, é escolher pessoas.Avaliar pessoas é algo que muitas vezes nos traz infelizes resultados e incalculáveis decepções.

Temos,diante de nós,que avaliar cotidianamente aqueles que nos rodeiam, precisamos avaliar as posturas dos profissionais que trabalham conosco, avaliar a atmosfera que cerca nossos familiares, avaliar os riscos que assumimos ao escolher este(a) ou aquele(a) que dividiremos nossa vida,tudo com base numa observação baseada nos conceitos que temos, identificando, no outro, características que satisfaçam nossa procura,que satisfaçam aquilo que esperamos para o posicionamento onde desejamos colocá-lo(a).Ao votar em um candidato,por exemplo,fazemos uma escolha que -em tese- é aquela que se encaixa com o perfil de governante que esperamos que seja nosso representante(Os.4.9).E,podemos ir mais longe ainda,é o nosso candidato, um reflexo nosso,aquele em quem votamos é a imagem nossa mesma.Votamos em "A" ou "B" porque vemos nele alguém que nos entende,compreende, alguém que suprirá os anseios que temos a respeito da nossa sociedade.

"9-Por isso,como for o sacerdote,assim será o povo." (Oséias 4)

Deus,em sua infinita  misericórdia e liberdade de escolha que nos concede, deixou-nos um regime democrático,no qual Ele deseja operar de forma a coordenar e direcionar nossos governantes para que tenhamos a vida que Ele planeja para seus filhos.O SENHOR tem o intuito de usar os governos para que,efetivamente, estes sejam instrumentos de bênçãos na vida do povo.As nossas escolhas,porém,nos conduzem a um período infrutífero e que prevalece a corrupção,falta de Ética, gestão fraudulenta,entre outras coisas que são,nada menos,frutos de escolhas erradas que fazemos na escolha daquele que será nosso representante nos Governos.

"2 Só prevalecem o perjurar, o mentir, o matar, o furtar, e o adulterar; há violências e homicídios sobre homicídios."(Oséias 4)

Os resultados de uma escolha mal feita são vistos claramente numa gestão que não supre os anseios que realmente os cidadãos precisam.Vemos que, na escolha específica que Israel fez ao eleger Saul para o Trono,desprezando a escolha divina,ao optar pelo mais "bonitinho" e mais simpático,carismático e tal,colheu frutos péssimos daqueles momentos que Saul governou sobre si.Isso no lado que diz respeito gerencial,olhando para a questão espiritual, vemos que Israel foi levado para uma situação espiritual que não agradava a Deus e que se opunha à autoridade profética e perseguia aqueles que eram genuinamente fiéis a Deus, sob a liderança do rei escolhido pelo dedo do povo.O rei,ao cogitar a possibilidade de ter sido rejeitado pelo Espírito Santo,como aconteceu,logo tentou frustrar o plano divino perseguindo aquele que era claramente o Eleito de Deus para governar Israel e colocar aquela humilde tribo como uma poderosa Nação nas mãos do servo escolhido .

Daí vemos que Deus tem seu intuito realizado quando homens fiéis são levantados pelo povo;nessa hora, Deus realiza seu plano guiando os governantes que são sensíveis à sua voz.Os frutos que Davi colhera foram tremendos,colocando Israel como uma potência, respeitada e,mais que isso,temida por seus vizinhos,não pela sua grandeza(embora fosse algo que trouxesse temor),mas, pela certeza de que a mão de Deus era com eles.Davi faz prosperar aquela Nação (2Sm.24.9) e fez que sua importância perante as demais se tornasse algo que glorificou a escolha divina(2Sm.8).

As nossas escolhas,então,mostram aquilo que temos dentro de nós,quando escolhemos um determinado candidato,estamos,na realidade,escolhendo aquele que é nosso próprio reflexo,estamos votando em nós mesmos.Prezado leitor (e eleitor...) note bem as escolhas que você fará,veja muito bem quem é aquele que despertou o seu interesse,avalie se realmente esta escolha é a mesma que glorificará a Deus,veja se a tua atitude não é a mesma dos israelitas que,escolhendo errado,pereceram profundamente.Se,depois desta análise,você perceber que é preciso optar por algo que corresponda ao apelo que Deus grita em Sua Palavra,não tenha medo em mudar.Lembre-se: A atitude deste dia 07/Outubro/20012, se fará refletir nas nossas vidas e trará ou não bons frutos na nossa vida.

Nas palavras de Bertold Brecht:

"Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo. E examinai, sobretudo, o que parece habitual. Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar."


* Bom 07 de Outubro a todos,vote consciente pelo amor de Deus! *

Compartilhe!