09/01/2015

Respira e vamos...

Respira e vamos...

Foi um ano bem animado, isso ninguém pode negar! O Ano após os protestos, foi marcado por grandes eventos: Reeleição de Dilma,algo impensável numa sociedade que valoriza Ética, Moral e mesmo a Democracia, a descoberta do maior esquema de corrupção da História - o Petrolão, inflação no Brasil e a ‘recessão técnica’, maquiagem das contas públicas e o desrespeito à Lei de Responsabilidade Fiscal... não faltou assunto! E,claro, o de sempre: vazamento do ENEM, e os escândalos promovidos pela IURD, com a abertura do templo de Salomão e o bispo Macedo com aquela barba enorme, fruto de um voto para concluir seu templo glorioso, fraco desempenho da economia, fraco desempenho na Educação, e índices não animadores como o aumento da pobreza e ampliação de pessoas dependentes do Bolsa Família e correlatos. E questões históricas bem relevantes como a retomada do diálogo entre Estados Unidos e Cuba, a questão do Estado Islâmico, a anexação da Criméia à Rússia e,no fim do ano, o sumiço de mais um avião.

Visão pessimista de 2015?

Sinceramente espero que você não tenha uma visão pessimista deste novo ano! Certamente que não há uma expectativa otimista dos Mercados, ou mesmo da Economia como um todo, para este ano de 2015, não há nenhum motivo que torne este ano um ao com grandes expectativas, não há grandes eventos mundiais como em 2014, não há uma eleição calorosa e acirrada como a que vivemos, com uma vitória apertada do pt, enfim, não há grandes situações que nascerão neste ano novo,mas, há o resultado de um 2014 conturbado. Como ano de transição, 2015 trará os resultados de do ano anterior como o desenrolar dos escândalos de corrupção que ali estouraram, trará uma Dilma fragilizada em sua própria base aliada, e em seu próprio partido, veremos as grandes obras para as Olimpíadas de 2016, com seus superfaturamentos e tudo mais. 

Como o cenário não nos será favorável, o melhor é sem dúvidas, conter gastos, reduzir despesas, priorizar nosso próprio conservadorismo para que estejamos blindados ou menos afetados em um ano tão incerto. Como será 2015? Será aquilo que permitirmos que ele seja, se o colocarmos nas santas mãos de Deus, será o melhor possível para nós. 

Compartilhe!