26/09/2012

(Lucas 14.15-24) - As Parábolas de Jesus 3



Lucas 14:
15 Ao ouvir isso um dos que estavam com ele à mesa, disse-lhe: Bem-aventurado aquele que comer pão no reino de Deus.
16 Jesus, porém, lhe disse: Certo homem dava uma grande ceia, e convidou a muitos.
17 E à hora da ceia mandou o seu servo dizer aos convidados: vinde, porque tudo já está preparado.
18 Mas todos à uma começaram a escusar-se. Disse-lhe o primeiro: Comprei um campo, e preciso ir vê-lo; rogo-te que me dês por escusado.
19 Outro disse: Comprei cinco juntas de bois, e vou experimentá-los; rogo-te que me dês por escusado.
20 Ainda outro disse: Casei-me e portanto não posso ir.
21 Voltou o servo e contou tudo isto a seu senhor: Então o dono da casa, indignado, disse a seu servo: Sai depressa para as ruas e becos da cidade e traze aqui os pobres, os aleijados, os cegos e os coxos.
22 Depois disse o servo: Senhor, feito está como o ordenaste, e ainda há lugar.
23 Respondeu o senhor ao servo: Sai pelos caminhos e valados, e obriga-os a entrar, para que a minha casa se encha.
24 Pois eu vos digo que nenhum daqueles homens que foram convidados provará a minha ceia.

Dentre todos os aspectos abordados por Jesus em suas parábolas,indiscutivelmente,a questão da nossa vida longe dos sofrimentos desta terra;a vida no Reino de Cristo, é o mais forte de todos.Vamos analisar uma parábola carregada de lições sobre uma vida que nos aguarda,uma vida sobre a qual já está praticamente tudo preparado para nossa chegada lá.O que torna este tema muito forte é justamente a maneira que iremos corresponder à manifestação deste Reino a cada dia.E é justamente com isso que devemos nos preocupar todo o santo dia!Afinal de contas,como estamos respondendo ao clamor espiritual que há em nós?De que maneira podemos agir a fim de não sermos surpreendidos por nossas próprias convicções?De que maneira nos guardar para que naquele grande dia possamos participar da “Grande Ceia”?

Sempre que tratamos acerca das palavras de Cristo no que diz respeito ao nosso comportamento diante da manifestação do Reino de Deus,devemos dar total legalidade ao Espírito Santo para nos levar a uma vida de mais temor e tremor pelas palavras de Cristo.É bom tomarmos cuidado para que não sejamos levados por uma vida de falsa religiosidade e uma “santidade” que não corresponde com um servo de Cristo.Possamos abrir nosso coração,mente,alma e espírito para que através das palavras do Bom Mestre sejamos impactados de uma maneira tão gloriosa que nós vivamos justamente o que nos é proposto para que estejamos prontos para responder com ousadia a Cristo:SIM,EU QUERO PARTICIPAR DESTA CEIA MARAVILHOSA!

Primeiramente,vemos um banquete espetacular preparado para um grupo muito bem selecionado de pessoas.Mas a despeito de toda a mega produção,do Buffet regalado,dos melhores vinhos,do melhor ambiente,algo inesperado ocorre:os convidados fazem pouco caso de tudo aquilo e inventam mil desculpas tão somente para não prestigiar aquele que com tanto cuidado preparou aquele grande evento,aquela grande festa.Imagine você que tendo em sua lista de convidados pessoas que aquele homem estimava,considerava,tinha um sentimento especial,não foi correspondido.Os convidados,pelo menos naquele momento,demonstraram uma total falta de consideração e não corresponderam àquele momento tão especial.

Seria ótimo se Cristo não estivesse falando de uma situação que ocorreu,ocorre e ocorrerá brevemente...infelizmente,isso já ocorreu quando o povo judeu,o povo escolhido,resolveu não aceitar a divindade do Messias (Jo.1.11;At.13.46), abertamente o rejeitaram (Lc.19.14). Essa rejeição ao SENHOR ainda ocorre todas as vezes que não nos colocamos na direção ou não estamos dispostos a seguir Jesus de forma plena (Gl.4.9;Os.11.7). Futuramente,ainda muitos serão aqueles que irão dar a mesma resposta ao Senhor Jesus,aceitarão viver debaixo do jugo do anti Cristo em detrimento de toda a promessa do SENHOR(Mc.13.22).O que ocorre é que Jesus estava nos advertindo a fim de que déssemos mais valor ao lado do sentimento de Deus,em outras palavras,estava falando para que nós não entristecêssemos a Deus(Ef.4.30).Isso é o que vai definir se faremos parte deste banquete memorável -agradar a Deus(Jo.9.31). 

Poderíamos aplicar esta passagem ao povo judeu (como é o desejo de muitos de nós!), mas,vamos aplicá-lo a nós mesmos.Depois de tudo que Jesus operou,depois de cada sofrimento de Cristo em nosso favor,é quase impossível imaginar que hoje em dia muitos são aqueles que abrem mão de tal resgate,de tal sofrimento,de tal obra.Mas observando as cartas apostólicas,não é difícil perceber que alguns anos após a morte de Jesus muitos foram aqueles que se desviaram da presença do Senhor(Tg.5.19;2Tm.2.18,25-26)e, interessante notar que o desviar-se da presença de Jesus abrange ainda admitir uma crença que não corresponde com os ensinos e a mensagem de Jesus(Gl.4.9).Isso faz parte de abrir mão do banquete oferecido por Cristo Jesus.É estar mais ligado em qualquer outra coisa que não seja o agradar a Deus,é ,ainda que por um momento,abrir mão de estar na presença de Cristo para fazer qualquer outra coisa,é tentar argumentar com Jesus dizendo que não podemos servi-lo pois estamos cuidando do nosso campo,do casamento,dos bois,ou qualquer outra coisa que julgamos mais importantes.

Diante do não recebido pelo dono da festa,haviam muitas opções do que fazer com aquela majestosa Ceia,mas,uma atitude muito interessante é tomada pelo homem.Desprezando toda adversidade ou toda quebra no protocolo,ele manda que seu servo chame todos que ele encontrasse na rua,todos aqueles que nem mesmo nos sonhos mais profundos participariam de tão grande festividade(v.21).Notemos que havia um propósito muito maior por detrás daquela grande festa:a comunhão daquele homem com pessoas que deram ouvidos ao seu chamado,a presença de pessoas que ,ainda que não merecessem,ou que não fossem dignas,estavam ali alegrando-se e regozijando-se com ele.É bom observar que mesmo em cima da hora da festa,o servo conseguiu encher aquela casa de gente.O fator tempo não foi um problema para aquele servo,evidenciando que ainda que não haja tempo,os propósitos de Deus tem de se cumprir,mesmo que estejamos frente à  última trombeta é possível alcançar o improvável,o inimaginável.

Ads


Compartilhe!