08/06/2014

Aécio Neves recebe apoio de mais oito partidos e é aclamado no Rio

Rio de Janeiro (RJ) – Em encontro com mais de 1,6 mil lideranças e militantes partidários no Rio de Janeiro, o presidente nacional do PSDB e pré-candidato a presidente da República, senador Aécio Neves, recebeu nesta quinta-feira (5) um importante apoio regional para a corrida presidencial de outubro. O ato formalizou o movimento Aezão, aliança entre tucanos e o PMDB do Rio. Esteve presente também o presidente do PSDB-RJ, deputado Luiz Paulo.

O movimento reúne nove partidos: além do PSDB e do PMDB, fazem parte do aliança regional o PP, PSD, o PSL, PTC, PEN, PMN e o Solidariedade.

No lançamento do movimento, Aécio foi recebido por 60 dos 92 prefeitos fluminenses, 35 deputados estaduais e mais de 500 vereadores de todo o estado do Rio de Janeiro.

“Fui surpreendido pela dimensão que tomou esse evento. A política brasileira recebe hoje uma lição dos homens públicos do Rio de Janeiro. Se eu tinha alguma dúvida da capacidade que temos de enfrentar essa avassaladora máquina pública, usada sem limites por aqueles que se apropriaram do estado nacional, essa dúvida está dissipada. Hoje o Rio diz sim a um tempo novo para o Brasil”, afirmou Aécio em seu discurso.

“Este é um encontro com enorme densidade política. Estão aqui as grandes lideranças do nosso Estado do Rio de Janeiro. E esta é uma aliança para mudar o Brasil e preservar os valores da democracia, os valores republicanos, o desenvolvimento econômico e social. Resgatar a solidariedade e a justiça social. Trazer de volta a eficiência e a eficácia, mas com total transparência”, afirmou o presidente do PSDB-RJ, deputado Luiz Paulo.

Presenças

O presidente do PMDB do Rio de Janeiro, Jorge Picciani, um dos principais articuladores do movimento, destacou a trajetória política do senador Aécio Neves e ressaltou que o Brasil precisa de mudanças.

“É hora de alternância de poder. O Aécio tem história e histórico. Tem conhecimento do Legislativo e do Executivo. Sua trajetória na vida pública lhe credencia a conduzir a vida nacional e a fazer o Brasil avançar mais”, afirmou Picciani.

O lançamento do movimento também atraiu lideranças regionais de outros nove partidos, entre eles o PPS, o PSB e o PDT. O encontro contou com a presença do presidente nacional do Solidariedade, Paulinho da Força, do presidente do PSD no Rio, Índio da Costa. Também participaram os deputados federais do PSDB Otávio Leite (RJ), Andrea Zito (RJ) e Cesar Colnago (ES) e o senador Francisco Dornelles (PP-RJ).

UPPs

O presidente nacional do PSDB aproveitou o evento para apontar falhas do governo federal na segurança pública, lembrando que a União é responsável por apenas 13% de todos os investimentos feitos no combate à criminalidade.

Aécio elogiou as UPPs, criadas no governo do PMDB com Sérgio Cabral, e defendeu a expansão e o aprimoramento do programa.

“O esforço do governador Sérgio Cabral na luta contra a criminalidade merece nosso reconhecimento. Quero afirmar que as UPPs serão exemplos a ser levadas para todas as regiões metropolitanas do Brasil. Vamos aprimorá-las. Além do policiamento, vamos levar desenvolvimento econômico e social às comunidades, porque é ele que levará a paz definitiva”, ressaltou o presidenciável.

Aécio voltou a criticar o governo da presidente Dilma pelas falhas na economia e na gestão de obras de infraestrutura.

“A herança que o atual governo nos deixará é a pior do ponto de vista econômico das últimas décadas, com crescimento pífio, inflação alta e perda da credibilidade do país. Do ponto de vista da gestão, o Brasil se transformou num grande cemitério de obras inacabadas, com sobrepreço para todos os lados”, ressaltou o pré-candidato do PSDB.

Compartilhe!