01/02/2016

Igreja Mórmon revela detalhes de seu passado

Em um esforço para ser “transparente” aos seus membros, a Igreja Mórmon recentemente lançou 12 ensaios que revelaram que seu líder fundador, Joseph Smith (foto), tinha cerca de 40 mulheres, incluindo uma menina que tinha apenas 14 anos de idade.

Smith (1805-1844) sempre foi retratado como um marido amoroso com sua esposa Emma, ​​mas um artigo recente, intitulado “Plural Marriage in Kirtland and Nauvoo” (“Casamento Plural em Kirtland e Nauvoo”, em tradução livre do inglês, provou o contrário.

O texto aponta que Smith ainda tomou para si mulheres que já tinham maridos, o que fez a poligamia ser considerada “uma provação dolorosa” por sua primeira esposa. No entanto, é possível que Smith não tenha tido relações sexuais com todas elas, porque algumas mulheres foram “selados” com ele para a próxima vida, segundo informações do The New York Times.

Também conhecida como a Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, a denominação mórmon decidiu compartilhar esses controversos documentos para provar que não tinha nada a esconder sobre seu passado, quando foi marcada por inúmeras controvérsias, incluindo questões raciais, como a exclusão de membros negros.

“Há tanta coisa lá fora, na Internet, que sentimos que devíamos aos nossos membros um lugar seguro onde eles poderiam ir para obter informações confiáveis ​​de promoção da fé que fosse verdade sobre alguns desses aspectos mais difíceis de nossa história”, afirmou o historiador da igreja, Steven E. Snow.

Essa não é a primeira vez que a decisão da Igreja Mórmon ganha destaque na mídia. Em novembro de 2014, quando a abertura de documentos sigilosos aconteceu, detalhes sórdidos da vida de Joseph Smith ganharam as manchetes de maneira oficial. Embora as histórias já corressem a sociedade em forma de rumor, a confirmação levou muitos membros a ficarem chocados.

“Joseph Smith foi apresentado a mim como um profeta praticamente perfeito, e isto é verdade para muita gente”, disse Emily Jensen, um blogueira mórmon. Ela, juntamente com alguns amigos mórmons, passou por momentos delicados quando aprenderam a verdade sobre o passado do líder fundador da denominação. “Esta não é a igreja em que eu cresci, este não é o Joseph Smith eu amo”, lamentou, segundo informações do Christian Today.

Extraído do Gospel+ [Site]

Compartilhe!