05/12/2012

O cristão e a árvore de Natal

Então é Natal,amado leitor,e,nessa época,muitos são aqueles que criam uma série de mitos e 'mandamentos' específicos ao momento.Surgem,no meio evangélico,dúvidas e questionamentos a muitos crentes quanto a alguns pontos: árvore de Natal, dia 25 de Dezembro,papai Noel, e o Natal em si.Hoje trataremos da árvore de Natal.

Lembro-me que quando me converti (isso há uns 6 ou 7 anos),muita coisa era demonizada ainda,mas,gradativamente, chegávamos ao estado que estamos hoje,onde nada é pecado, pode tudo,num verdadeiro oba-oba celestial.Como muita coisa mudou,a ideia de que a a árvore de Natal era coisa do capeta também caiu por terra.Mas afinal,é lícito ao cristão tê-la em sua casa?

Pela falta de informação muitos ainda acreditam que esta árvore tem o poder maligno de destruir a vida do crente pelo simples fato de levá-la para seu lar.As origens deste costume de levar uma árvore (pinheiro) para casa no período do inverno,na neve, surgiu,sim,como muitos sabem,de povos pagãos da região dos países bálticos que,no solstício do inverno [i.e. no início do inverno] cortavam os pinheiros e levavam-os para casa decorando de forma semelhante como é feita na árvore de Natal.Vale lembrar ao leitor que muitos povos pagãos relacionavam as árvores a símbolos divinos,cultuando-as e realizando festivais a seu favor. Este costume pagão se alastrou e um monge beneditino (São Bonifácio) tentou acabar com essa crença pagã,mas, não obteve sucesso e logo teve outra ideia brilhante,que era baseada na filosofia católica do sincretismo religioso:tratava-se de associar o pinheiro à Trindade,isso mesmo,as três pontas do pinheiro fariam referência ao Pai,Filho e Espírito Santo de Deus,ao invés de ser algo tido como poderoso ou divino.E a ideia foi aceita e se misturou ao cristianismo.

Pois muito bem,amado leitor,como sabemos,muitas coisas foram acrescentadas ao cristianismo,que tinham origens duvidosas.Mas sinceramente,é de se duvidar que uma pessoa,crente ou não,compre um pinheiro,o decore, coloque presentes no pezinho dele, pisca-pisca,acreditando estar com um deus em sua casa! É diferente de você levar para sua casa,por exemplo,uma imagem de são Jorge,ou de Aparecida,ou de seja qual santo for; quem leva pra casa uma imagem destes,leva porque acredita que há alguma virtude naquilo, vai colocar num lugar alto, flores, um copo de água, um terço na mão daquela imagem e vai acender uma vela,e todos os dias vai cuidar daquilo ali como se estivesse vendo a imagem de Deus ali... Já quem compra a árvore de Natal,ainda que conheça as origens dela,não vai comprar,certamente, porque acredita que é 'santa' ou coisa do tipo.Vai comprar somente para decorar o ambiente,estando adequado ao momento.

Se há problema? Nenhum;Mas a Bíblia não fala nada? Não; Ah,mas não é pecado? De forma alguma.Dizemos a você com absoluta certeza que não há restrição nenhuma ao cristão ter uma árvore em sua casa e decorá-la como bem quiser.Como último argumento aos que são contrários,gostaria de propor a seguinte reflexão: Ora,se um mero pinheiro, uma árvore de Natal é capaz de derrubar um crente, será que a fé deste não é por demais miserável[1]?

*  *  *  *  *  *  *  *
Notas:
[1]-Miserável no sentido de não ser capaz de vencer uma coisa tão simples.Se não vence as simples,como vencerá as complexas?

Ads


Compartilhe!