27/02/2017

Caminhantes sobre qual verdade?


Amados, após muito tempo sem produzir um texto autoral, hoje volto com um tema sempre atual: as diversas verdades que se apresentam pelas mais diversas pessoas, na tentativa de propor um caminho milagroso para uma vida vitoriosa ou para a salvação e mesmo para soluções extraordinárias sobre as mais diversas perturbações que, porventura, se nos apresente.

Verdades disponíveis e atraentes


Atualmente, muitas são as fórmulas mágicas que diversos 'profetas' nos apresentam. A proclamação de mensagens que prometem a resolução de problemas, dos mais diversos problemas, sempre é de forma surpreendente, sempre mostra situações extremas nas quais a simples aplicação daquela 'fórmula mágica' trará aos desesperados e aflitos a solução. Trata-se de um verdadeiro espetáculo no qual o centro de toda a proclamação é justamente a resolução do problema, geralmente com a utilização de um elemento mágico, um objeto consagrado, poderoso e ungido. Todas estas mensagens são disponíveis a qualquer um, a todo o momento, sempre mostrando um mundo perfeito, mágico e celestial que pode ser vivido nesta terra. Tais mensagens, por mais atraentes que sejam, desprezam princípios espirituais revelados pelo próprio Cristo, como em João 16.33:" Tenho-vos dito isto, para que em mim tenhais paz; no mundo tereis aflições, mas tende bom ânimo, eu venci o mundo." (grifo meu). Note que no capítulo 16 do Evangelho de João, o Senhor Jesus estava justamente preparando seus discípulos para que não desanimassem quando este (Cristo) cumprisse sua missão, quando ele consumasse todas as coisas com seu próprio sangue (João 19.30), ou seja, quando ele cumprisse integralmente seu ministério terreno. Ora, Jesus preparou seus discípulos pois a realidade deles, após a cruz, não seria a companhada do glamour e da segurança que a presença constante do Mestre trazia enquanto estava com eles. Enquanto estava com eles, as ações de Jesus conspiravam de tal forma que nenhum tipo de aflição direta em função da missão evangélica, os perturbava ou fazia questionar sobre a vitória sobre os opositores. Cogitar que o Mestre não mais estaria presente na missão, junto deles, trouxe temor, medo, aflição e questionamentos que não faziam parte da rotina deles. E Jesus os preveniu acerca disto.

Deturpação do conceito de vida vitoriosa ou o que é a mensagem da cruz


Como é fácil perceber, há a forte inclinação de muitos em tentar resumir a vitória da cruz, ou seja, a vitória de Cristo sobre o poder da morte, do pecado, do diabo, da carne e do mundo em uma vitória sobre questões existenciais, na maioria das vezes derivadas de escolhas erradas que tomamos. Muitos apropriam-se indevidamente da mensagem da cruz de Cristo unicamente para solucionar problemas que nós mesmo criamos por negligência ou por esperarmos resultados benéficos em nossa conduta impensada e errada. É fácil observarmos toda sorte de promessas, sempre associadas a soluções de problemas que é gerado pelo próprio homem! Jeremias, por exemplo, constatou esta verdade: "De que se queixa, pois, o homem vivente? Queixe-se cada um dos seus pecados." (Lamentações 3.39). Lembre o nobre leitor que quando Jeremias escreveu Lamentações ele estava diante de um cenário de catástrofe e devastação de Jerusalém por conta dos babilônicos; enquanto escrevia, sua inspiração era a cidade santa totalmente devastada, onde a fome era presente, com diversas matanças, corpos por onde quer que andasse, cheiro de morte, luto e desonra, incêndios, saques e toda sorte de humilhações. Foi neste cenário, onde muitos certamente clamavam e questionavam o por quê de tal situação, que o Profeta, de forma muito corajosa declara que "queixe-se cada um dos seus pecados". A mensagem da cruz, como dizia, não visa o benefício daquilo que é temporal,mas, daquilo que é eterno, assegura questões de ordem espiritual e não material; não é promessa divina a solução sobre questões que nós temos o poder de interferir e solucionar pois as promessas divinas apenas interferem naquilo que não podemos solucionar

*Continua.

Ads


Compartilhe!