25/09/2016

Respostas da Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise

A respeito da sobrevivência em tempos de crise, responda:


1.    Qual era a missão de Adão antes da crise se instalar na Terra?
Adão recebeu do Criador a missão de governar a Terra e cultivar o solo.

2.    As crises enfrentadas no mundo são consequência de quê?
São consequência da Queda.


3 . A sociedade pós-diluviana tornou-se melhor que a antediluviana?
Não!  O homem continuou a pecar de forma deliberada contra Deus.



Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

4. Quais eram as crises e conflitos no tempo de Jesus?
A tensão política e a instabilidade social eram grandes. Era um tempo de crise política, social, moral e espiritual.

5.   Quem Deus usou para administrar a crise de alimentos no Egito?
José recebeu de Deus sabedoria para administrar a crise.

ACESSE TAMBÉM:
Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise:
SUBSÍDIOS
RESPOSTAS
COMENTÁRIO
BAIXAR EM PDF 4SHARED
BAIXAR EM PDF GOOGLE DRIVE

Subsídios da Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise

SUBSÍDIO BIBLIOLÓGICO

"Adão e Eva tentaram igualar-se a Deus e determinar seus próprios padrões de conduta (Gn 3.22). O ser humano, através da Queda, tornou-se até certo ponto independente de Deus, e começou a fazer o seu próprio julgamento entre o bem e o mal. Neste mundo, o julgamento ou discernimento humano, imperfeito e pervertido, constantemente decide sobre o que é bom ou mau. Tal coisa nunca foi da vontade de Deus, pois Ele pretendia que conhecêssemos somente o bem, e para isso, dependendo dEle e da sua palavra. Todos quantos confessam Cristo como Senhor, retornaram ao propósito original de Deus para a humanidade. Passam a depender da Palavra de Deus para determinarem o que é bom" 

(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 38).


Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

Maldade e violência
Essas palavras são usadas para caracterizar os pecados que causaram o dilúvio de Gênesis. Maldade é rasab, atos criminosos que violam os direitos dos outros e tiram proveito do sofrimento deles. Violência é hamas, atos deliberadamente destrutivos que visam prejudicar outras pessoas. Quando qualquer sociedade é marcada por situações frequentes de maldade e violência corre o risco de receber o juízo de Deus.

Noé deve ser honrado por sua constante fidelidade. Ele trabalhou durante anos na construção da arca numa planície sem água (Gn 6.3). Ele deve ter sofrido zombaria sem piedade dos seus vizinhos, nenhum dos quais respondeu às suas advertências acerca do juízo divino. Contudo, Noé não deixou de confiar em Deus. Manteve uma postura obediente. Percebemos a qualidade de nossa fé quando passamos por provações" 

(RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 29).



SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

O profeta Habacuque viveu  em Judá, provavelmente durante o reinado de Josias. Todavia, apesar do verniz superficial da religião, essa sociedade foi arruinada pela injustiça.

No passado, muitos profetas já haviam identificado e condenado duramente a sociedade injusta de Judá, mas foi sobre o governo de Manassés, avô de Josias, que a sociedade hebraica comprometeu-se com a idolatria, atrelada aos males sociais. Josias, que assumira o trono aos oito anos de idade, conclamou a nação a que voltasse para Deus. Após ter encontrado um livro perdido da lei de Deus, extirpou a idolatria, restabeleceu o Culto no Templo e empenhou-se na administração da antiga lei de Deus. Muito embora, todos esses procedimentos não tenham conseguido eliminar a corrupção, profundamente enraizada entre o povo e suas instituições.

Habacuque, ao rogar a Deus por uma explicação do por que Ele permitiria que o iníquo pecasse e o inocente sofresse, recebe a resposta. Na época, Deus estava preparando os babilônios para ingressarem no rol das potências mundiais.


O Senhor usaria as forças armadas desses pagãos para que seu próprio povo fosse punido. Habacuque entendeu o plano de Deus, pois o uso de nações inimigas para disciplinar Israel e Judá era um precedente bem arquitetado. Não obstante, havia ainda um problema de ordem moral que perturbava o profeta. Como poderia Deus usar um povo menos justo para disciplinar o mais justo?  Desde o início, este tema palpitante tem causado preocupação aos crentes de uma forma ou de outra. Por que permitiria Deus que o iniquio alcançasse sucesso neste mundo?
Por que Ele não tomaria atitude alguma de sorte que os bons e não os ímpios prosperassem? As respostas que encontramos em Habacuque deixam evidente que o ímpio não será bem-sucedido, pois não há quem, bom ou mau, que possa evitar a mão disciplinadora do Senhor" 

(RICHARDS, Lawrence O. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Gênesis a Apocalipse capítulo por capítulo. 10.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 560).

ACESSE TAMBÉM:
Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise:
SUBSÍDIOS
RESPOSTAS
COMENTÁRIO
BAIXAR EM PDF 4SHARED
BAIXAR EM PDF GOOGLE DRIVE

EBD 2016 - 4º Trimestre: Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise


Lição de 02/Outubro/2016 na Escola Dominical em todas as Assembleias de Deus no Brasil

INTRODUÇÃO

Neste trimestre, estudaremos as crises que o mundo decaído vem enfrentando ao longo do tempo. Jesus nos alertou que no mundo teríamos aflições, mas prometeu estar conosco todos os dias, até a consumação dos séculos (Mt 28.20). Não estamos sozinhos em meio às crises. Sabemos que o Brasil enfrenta uma séria crise política, moral e econômica sem precedentes.

Já se fala em 11 milhões de desempregados. Muitas empresas estão fechando suas portas; a indústria não consegue escoar a produção, pois o comércio não tem para quem vender os produtos. E o resultado é a tão temida recessão econômica. A crise também tem afetado a área da saúde. Os que buscam os hospitais públicos sofrem nas filas de espera. Faltam médicos, remédios e leitos, e muitas pessoas morrem sem conseguir atendimento. A Educação também tem enfrentado crises. Vivemos em uma sociedade caótica, porém temos um Deus que cuida de nós. É o que veremos nesta lição.


I - A CRISE COMO UMA REALIDADE

1. Deus criou um mundo perfeito. Deus criou um mundo perfeito e nele colocou o homem, para cuidar da criação e com ela habitar. Adão recebeu do Criador a missão de governar a Terra e cultivar o solo.

Por um período de tempo (não sabemos quanto tempo), Adão e Eva viveram sem crise e em harmonia, governando o mundo. Todavia, Adão e Eva caíram na tentação do Diabo, desobedecendo à ordem de Deus. Com o pecado veio o juízo divino sobre Adão, Eva e a serpente. A terra também sofreu as consequências do pecado (Gn 3.17). O pecado deformou a raça humana e fez com que o mundo viesse experimentar as diferentes crises que temos visto.
A primeira crise que Adão enfrentou foi no seu relacionamento com sua esposa, Eva. Adão culpou a Deus e a mulher pelo seu erro (Gn 3.12). Em meio às crises, sejam elas de diferente ordem, temos a tendência de sempre culpar alguém.

2. Uma sociedade em crise. Com a Queda, vieram os males e as crises, que assolam a Terra até os dias atuais. A apostasia tornou-se universal. Hoje parece não haver mais limites ao adultério, a imoralidade e a corrupção. O homem está cada dia mais distante de Deus e cometendo toda sorte de torpeza. Nossa geração assemelha-se a dos dias de Noé.

Contudo, Deus está no controle. O Dia do Senhor virá e a sua justiça será feita. Vivemos em uma sociedade corrupta e perversa, mas não pertencemos a este mundo, por isso, não podemos nos conformar com a sua maneira de pensar e agir (Rm 12.2).


Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

II - A CRISE COMO UMA CONSEQUÊNCIA DO PECADO

1. A crise na sociedade antediluviana. Depois da Queda, o pecado se alastrou pela raça humana como um vírus letal (Gn 6.5). Porém, o mundo antediluviano ainda não vivia o caos. Segundo as Escrituras Sagradas não havia fome e a saúde do homem era boa, pois a expectativa de vida era bem elevada, chegando quase a mil anos (Gn 5.27). Embora houvesse provisão, saúde e expectativa de vida, o homem continuava longe de Deus e entregue a toda a sorte de torpeza.

A terra encontrava-se corrompida  e cheia de violência (Gn 6.11). Muitos, erroneamente, acreditam que a violência é consequência da modernidade e do capitalismo. A violência é consequência do pecado e da dureza do coração do homem, que vive longe do Criador. Dizendo isso, não estamos negando que a pobreza, o desemprego e a falta de acesso à educação contribuem para o aumento da violência.

Deus é santo e não pode tolerar o pecado, por isso, decidiu frear a maldade do homem trazendo o dilúvio (Gn 6.13). Mas Deus também é misericordioso. Em sua bondade e misericórdia, Ele determinou que Noé construísse uma arca. A arca serviria para abrigar Noé e sua família, os animais e todos aqueles que acreditassem na pregação do servo de Deus. A arca era um refúgio contra a ira de Deus. Mas aquelas pessoas não creram nas advertências de Noé e não quiseram buscar refúgio em Deus. Somente Noé e sua família foram salvos das águas do dilúvio formando uma nova civilização.

ACESSE TAMBÉM:
Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise:
SUBSÍDIOS
RESPOSTAS
COMENTÁRIO
BAIXAR EM PDF 4SHARED
BAIXAR EM PDF GOOGLE DRIVE

2. Crise na sociedade pós-dilúvio. Noé repovoou a terra, porém o homem continuou com a semente do pecado em seu coração. Não demorou muito para a crueldade adentrar na casa do próprio Noé. O servo do Senhor plantou uma vinha, fez vinho e se embriagou (Gn 9.20,21). Seu filho Cam, vendo o pai bêbado, expôs a sua nudez. Cam foi amaldiçoado por Noé (Gn 9.25), numa mostra clara de que o pecado traz maldição para a família e para a nação. Muitas vezes a crise é consequência do pecado.

Os homens se estabeleceram na antiga planície da Suméria e não demorou muito para iniciarem a construção de uma torre. Esse era um monumento para engrandecimento do homem. Era a busca pelo poder. Muitos, na atualidade estão construindo monumentos para si mesmo (casas, carros importados, joias, roupas de grife), mas não ajudam aqueles que estão necessitados. Deus não se agradou desse projeto arrogante e fez com que cada um falasse uma língua diferente, dificultando o ajuntamento das pessoas em um só lugar. A sociedade pós-diluviana não se tornou melhor do que a antediluviana, pois a iniquidade humana continuou a crescer.

3. Crise nos tempos de Jesus e na Igreja Primitiva.
Jesus nasceu na terra de Israel, em uma região conhecida como Palestina. O Filho de Deus veio ao mundo em um tempo em que o Império Romano dominava Israel. A tensão política e a instabilidade social eram grandes. Era um tempo de crise política, social, moral e espiritual. Mas, em meio às crises a luz raiou dissipando as trevas e trazendo esperança para a humanidade. Nos dias de Jesus, havia muitos pobres e necessitados. Por isso, o Mestre ensinava que era preciso cumprir o que fora dito pelo profeta Isaías (Is 58.6,7). Não adiantava dizer que eram filhos de Abraão, caso não desfizessem o jugo do oprimido e repartissem o pão com o faminto. Isso nos faz lembrar que a fé sem as obras é morta (Tg 2.15-17).

A Igreja Primitiva enfrentou uma terrível perseguição. Havia muitos necessitados, todavia os irmãos acudiam os pobres e necessitados. Em tempos de crise, os bens eram partilhados (At 4.34,35). É em meio à crise que podemos ver o quanto as pessoas são generosas. A generosidade aliada à comunhão fazia com que muitos fossem atraídos a Jesus Cristo, contribuindo para o crescimento da igreja. [Leia todas as lições, subsídios e respostas aqui!]

III - A CRISE

1. A crise política. Israel enfrentou uma terrível crise política depois da morte de Salomão. Roboão, o filho sucessor, pede conselhos aos anciãos, mas ignora as orientações deles. Ele prefere seguir os conselhos de seus amigos (1 Rs 12.10). Roboão buscou fazer aquilo que era melhor para si e não para o seu povo. Os resultados foram os piores possíveis. A nação foi dividida, afastando o povo de Deus. Essa divisão perdurou por muito tempo trazendo dor e sofrimento para todos. Quando homens insensatos assumem o poder, toda a nação sofre as consequências.

Atualmente, o Brasil está enfrentando uma crise política sem precedentes. Ela tem sido destaque nos principais jornais do mundo. A cada dia surge um novo escândalo. Estamos vivendo um momento muito delicado. A corrupção tem se alastrado como um câncer, atingindo todos os poderes. Como Igreja do Senhor, temos que orar em favor da nossa nação e lutar contra toda a forma de corrupção, pois temos um Deus que é santo e que abomina tal condição. Quando escolhemos, de forma errada, uma pessoa para nos representar tanto no Executivo quanto no Legislativo, a injustiça se alastra e muitos problemas surgem, como os que ocorreram em Israel (Dt 16.18-20; Is 1.23).


2. A crise econômica. Muitos países já enfrentaram terríveis crises econômicas ao longo dos anos. Nas Escrituras Sagradas, encontramos, no livro de Gênesis, a extraordinária crise de alimentos pela qual passou toda a terra (Gn 41.55,56). Porém, a crise foi revelada a Faraó por intermédio de um sonho (Gn 41.1-8). Deus deu a José a interpretação do sonho e ele foi levantado como governador do Egito. José recebeu de Deus sabedoria para administrar em tempos de crise. A crise foi tão intensa que pessoas de todas as terras se dirigiam ao Egito para comprar alimento (Gn 41.57).
No Brasil, a crise econômica que estamos enfrentando está diretamente ligada à crise política. Segundo alguns economistas, o "Brasil não sairá da crise econômica se não resolver a crise política e ética". Em meio à crise não podemos nos desesperar nem nos entristecer. Precisamos orar e confiar no Deus de toda provisão.


3. A crise espiritual. No texto bíblico dessa lição, o profeta Habacuque, que viveu e ministrou em Judá, questionou a Deus a respeito da crise que seu povo estava enfrentando. O profeta estava em meio a uma sociedade agonizante, e por isso, desejava algumas respostas de Deus. Muitas vezes, como Habacuque, diante do caos também nos perguntamos: "Por que Senhor?" O profeta ficou perturbado ao ver que os ímpios prosperavam e os justos iam mal. Deus, entretanto, ouviu os questionamentos do profeta. Ele ouve e responde nossas indagações, embora nem sempre tenhamos as respostas no momento em que queremos. O Senhor não deixou Habacuque sem resposta (Hc 2.1,2). O Senhor falou que o seu julgamento viria sobre Judá. Deus não tolera o pecado. Para disciplinar seu povo, Ele usaria os babilônios (Hc 1.5-12).

Habacuque questiona a Deus, porém ele era um homem de fé. Suas indagações não eram resultado de dúvida ou incredulidade. Ele confiava que Deus poderia suprir as necessidades do seu povo mesmo não florescendo a figueira e não havendo fruto na vide (Hc 3.17). Mesmo que não houvesse provisão, ele continuaria confiando na fidelidade do Senhor. Confiar em Deus em tempos de abundância é relativamente fácil; difícil é continuar confiando na provisão em meio à escassez.

CONCLUSÃO

O mundo pode estar em crise, mas o Reino dos Céus não. O Senhor é soberano e não perdeu o controle da situação. O governo está em suas mãos. O Dia do Senhor virá e os justos e ímpios terão a sua recompensa. Não desanime. Confie, pois em breve o Senhor virá em nosso socorro.


Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner


ACESSE TAMBÉM:
Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise:
SUBSÍDIOS
RESPOSTAS
COMENTÁRIO
BAIXAR EM PDF 4SHARED
BAIXAR EM PDF GOOGLE DRIVE

EBD 2016 - 4º Trimestre: O Deus de toda provisão

Queridos, excelente semana a todos,

No próximo domingo, dia 02/Outubro/2016, iniciamos nas Assembléias de Deus no Brasil mais um novo tema na Escola Dominical. O tema,"O Deus de toda provisão", tem comentários do Pastor Elienai Cabral e trará, entre outros pontos, exemplos de pessoas que provaram desta provisão divina em meio a mais diversas crises. Histórias como de Abraão, Rute e José serão abordadas evidenciando a interferencia divina suprindo-os em várias situações. Por outro lado, seremos também encorajados a permanecermos fiéis afim de vivenciarmos esta provisão em tempos de crise! A seguir, temos o sumário da revista:

Lição 1 - A Sobrevivência em Tempos de Crise (Já disponível aqui!)
Lição 2 - A Provisão de Deus em Tempos Difíceis
Lição 3 - Abraão, a Esperança do Pai da Fé
Lição 4 - A Provisão de Deus no Monte do Sacrifício
Lição 5 - As Consequências das Escolhas Precipitadas
Lição 6 - Deus: O Nosso Provedor
Lição 7 - José: Fé em Meio às Injustiças
Lição 8 - Rute, Deus Trabalha pela Família
Lição 9 - O Milagres Está em Sua Casa
Lição 10 - Adorando a Deus em Meio a Calamidade
Lição 11 - O Socorro de Deus para Livrar o seu Povo
Lição 12 - Sabedoria Divina para Tomada de Decisões
Lição 13 - A Fidelidade de Deus



19/09/2016

Apenas ideias tolas e ultrapassadas

Reflexão::

Apenas ideias tolas e ultrapassadas


Continuamente, vemos mais e mais jovens defendendo pensamentos, partidos políticos e teses que, entoadas pelos grupos que fazem parte, transformam-se em verdadeiros mantras no qual imaginam que todo o conjunto da sociedade deve curvar-se perante o mundo no qual consideram o ideal. Na busca por tornarem-se importantes para a sociedade, querem a todo custo impor uma regra que julgam a mais adequada em detrimento de todas as demais possibilidades, eliminando qualquer diálogo para uma convivência saudável.


Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

Desde muito novos, sofrem a influencia mais nefasta e cretina nas escolas (públicas ou privadas), sendo doutrinados na comprovadamente opressora doutrina vermelha, de esquerda. Atraídos pela possibilidade de mudar o mundo e transformá-lo no ‘paraíso’, desprezam a História, a qual comprova continuamente que países que adotam um modelo esquerdista, associam-se com o que há de mais atrasado e promove principalmente a destruição econômica e o caos social de seu próprio povo. E, ao confrontá-los naquilo que eles mesmos defendem, gera o conflito que eles não estão preparados numa sociedade democrática como a nossa pois estes não gostam de democracia ou liberdade, gostam da opressão e determinação de uma ideia sem qualquer debate prévio. 


Uma juventude que abre mão do questionamento como forma de mudança, dando lugar a vandalismo, gritos e imposição de pensamento, é o retrato daqueles que são facilmente manipuláveis e manipulados por aqueles que são os verdadeiros golpistas de uma Ordem Democrática. Admitir isto é o princípio para trabalharmos rumo ao Brasil que realmente queremos: o Brasil que funcione para todos nós!


10/09/2016

Subsídios da Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora

SUBSÍDIO DIDÁTICO

Professor, reproduza o quadro abaixo. Utilize-o para mostrar aos alunos o que é evangelização integral. Explique que a evangelização integral vai além do anúncio das Boas-Novas. É preciso ter uma visão integral do homem (corpo, alma e espírito). Conclua enfatizado que a evangelização integral é uma ordenança de Jesus para a sua Igreja.

(Clique para ampliar)

Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner
SUBSÍDIO DIDÁTICO

Professor, reproduza o quadro abaixo e utilize-o para mostrar aos alunos o que é o discipulado integral. Explique que o novo convertido é alguém que experimentou o novo nascimento. Ninguém pode fazer parte do Reino de Deus se não nascer de novo (Jo 3.3). Mediante a fé em Jesus, experimentamos uma profunda transformação de vida. Essa mudança radical não é apenas exterior, mas interior. Temos visto que atualmente muitos apresentam um belo exterior, são bem apresentáveis, possuem uma boa oratória, mas interiormente estão cheios de podridão e imundícia. Segundo Jesus, estes são como sepulcros caiados (Mt 23.27). Eles acabam impedindo, devido ao mau testemunho, que muitos entrem no Reino de Deus e que a Igreja cumpra a sua missão integral.


Aqueles que experimentaram o novo nascimento precisam crescer na graça e no conhecimento de Cristo; para isso é preciso um discipulado eficiente.


SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

"O que é a integração total do novo convertido
Integrar é juntar, incorporar, tornar parte. Quando falamos em integrar o novo-convertido, estamos falando simplesmente disto: fazê-lo parte do corpo visível do Senhor—a igreja local. A sua união ao corpo místico de Cristo é obra do Espírito Santo; cabe-nos, entretanto, a missão de levá-lo pela mão em seus primeiros passos na fé, e de ajudá-lo a ocupar o seu lugar na comunidade dos salvos.
Na maioria das vezes, as igrejas limitam-se a orar pelas pessoas no ato da conversão, quando ela manifesta, de alguma forma, o desejo de receber a Jesus como Salvador. Os cuidados com o novo crente resumem-se a preencher uma ficha com seus dados pessoais, oferecer-lhe, às vezes, um Novo Testamento, e, quando muito, visitá-lo em casa depois de alguns dias.
O novo convertido dá os primeiros passos na vida cristã, já participando dos trabalhos tradicionais da igreja, tentando digerir o 'sólido mantimento' sem antes haver recebido o leite dos 'primeiros rudimentos da palavra de Deus' (Hb 5.12). Quanto desestímulo e prejuízo esse descaso poderá trazer. A igreja precisa conscientizar-se da importância da integração total do novo convertido, para que ele não venha a sentir-se excluído ou desmotivado.

A recepção e os primeiros contatos servem para deixá-lo à vontade e despertar nele o interesse em voltar à casa de Deus. Contudo, o papel da igreja vai além; cabe-lhe promover a integração espiritual eclesiástica, doutrinária, social, emocional e cultural do novo crente, bem como envolvê-lo no serviço cristão.
Isto é integração total" 

(DORETO, Marli; DORETO, Maísa; DORETO, Marta. Manual de Integração do Novo Convertido, led. Rio de Janeiro: CPAD, 2007, pp. 19,20).

Leia ainda:

Download da lição 13:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

EBD 2016 - 3º Trimestre: Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora


Lição de número 13 da Escola Dominical a ser ministrada em 25/Setembro/2016 em todas as Assembleias de Deus no Brasil

INTRODUÇÃO

A Igreja Primitiva não precisou de mais do que uma geração para levar o Evangelho de Cristo aos confins do Império Romano. Seguindo o modelo que lhes deixara o Senhor, os discípulos, no poder do Espírito Santo, evangelizaram simultaneamente Jerusalém, a Judeia e Samaria até chegarem à capital de Roma, no Ocidente.
Se levarmos em conta o modelo autenticamente pentecostal de evangelização, cumpriremos, em tempo recorde, o programa divino para alcançar tanto o nosso bairro quanto as nações mais distantes. Mas, para isso, temos de nos voltar ao método de evangelização simples, mas eficaz, dos primeiros evangelistas e missionários.

Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

I - O QUE É A EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL

Não carecemos de nenhum método inovador, nem de fórmulas extravagantes, para cumprir plenamente o cronograma divino do anúncio universal do Evangelho.

1. Evangelização integral. Consiste na proclamação simultânea do Evangelho em todos os âmbitos: local- nacional e transcultural. O modelo de Atos 1.8 implica uma ação conjunta, ou seja, evangelizando Samaria, Judeia e os confins da terra ao mesmo tempo. Jesus não ordenou aos discípulos evangelizar primeiro Jerusalém, depois a Judeia, em seguida Samaria e, finalmente, os confins da terra. O seu plano-diretor era bem claro e objetivo: "e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra". Isso implica uma ação da Igreja (At 13.1-5).
A evangelização mundial, para ser bem-sucedida, tem de funcionar de acordo com o manual que nos deixou o Senhor Jesus no Novo Testamento.

2. Avivamento e evangelização. Nenhum plano evangelístico, ainda que bem elaborado, terá êxito a menos que retornemos ao cenáculo. Sem o batismo com o Espírito Santo, não teremos o poder necessário para anunciar o Evangelho de Cristo. Evangelismo e Pentecostes são temas gêmeos, inseparáveis. O poder do alto é insubstituível na vida da igreja.
A evangelização integral requer o revestimento de poder daquele que se predispõe a falar de Cristo no bairro, na cidade, no país e no exterior.



II-DISCIPULADO INTEGRAL

A evangelização integral deve ser acompanhada do discipulado integral, que compreende as seguintes ações: doutrinação, integração, treinamento e identificação.

1. Doutrinação. A doutrinação do novo convertido consiste no ensino das verdades centrais da fé cristã, para que ele pense, aja e viva de acordo com o mandamento de Cristo. Dessa forma, poderá ele guardar todas as coisas ordenadas pelo Senhor, até o arrebatamento da Igreja (Mt 28.20).
A doutrinação deve ser iniciada no ato da conversão, tendo continuidade durante toda a vida cristã (At 2.41-43).

2. Integração. Sem a integração social do novo crente, sua doutrinação torna-se ineficaz. 0 novo convertido precisa sentir que é parte da família de Deus. Não se trata de um mero exercício sociológico, mas do compartilhamento do amor cristão (At 2.44).
João sabia que, se os cristãos não se amassem mutuamente, jamais se sentiriam parte do corpo de Cristo. Por isso, não cessava de exortar a Igreja. O amor que integra não compreende apenas palavras, mas ações efetivas (1 Jo 3.18).Leia aqui as lições anteriores!

3. Treinamento. Ainda na fase da doutrinação e da integração, o novo convertido deve ser treinado a fazer novos discípulos. A libertação do endemoninhado gadareno ilustra muito bem esta etapa do discipulado radical. Tão logo Jesus o livrou daquela legião, recomendou-lhe: "Torna para tua casa e conta quão grandes coisas te fez Deus [...]" (Lc 8.39). E, no mesmo instante, o homem saiu a apregoar quão grandes coisas fizera-lhe o Senhor.

4. Identificação. Esta fase somente será eficaz se as anteriores forem bem executadas. A plenitude do discipulado radical será levar o novo crente a ser conhecido, através de seu testemunho e postura, como seguidor de Cristo. Os crentes primitivos, em virtude de seu compromisso com Jesus, eram conhecidos como cristãos (At 11.26).
Hoje, mais do que nunca, devido à brevidade e a urgência destes dias, carecemos de homens, mulheres e crianças que sejam identificados como discípulos de Jesus Cristo (Jo 8.31).

III - A IGREJA DA EVANGELIZAÇÃO INTEGRAL

A igreja da evangelização integral é caracterizada por três ações básicas na divulgação do Evangelho de Cristo: promoção, comissão e manutenção.

1. Promoção. À semelhança de Antioquia, a igreja da evangelização integral não vive de si e para si. Antes, promove a proclamação de Cristo em todos os âmbitos (At 13.1-3). Ela é evangelística e missionária. Para ela, não existe maior evento do que evangelizar e fazer missões. Que o Senhor avive nossas igrejas, impulsionando-as aos confins da Terra.



2. Comissão. Na evangelização integral, a igreja tem de agir como a agência evangelizadora e missionária por excelência. Nenhuma organização pode substituí-la nessa tarefa. Discorrendo sobre os pressupostos da evangelização mundial, o apóstolo Paulo pergunta: Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? E como crerão naquele de quem não ouviram? E como ouvirão, se não há quem pregue? E como pregarão, se não forem enviados? [...]" (Rm 10.14.15).

3. Manutenção. No auge da prosperidade econômica do Brasil, o que fizemos em prol da evangelização mundial? Sabemos que algumas igrejas aproveitaram aquele momento para chegar aos confins da Terra. Outras, porém, viveram apenas para si, como se aquele instante não tivesse fim.
As igrejas da Macedônia, apesar de pobres, enriqueceram a muitos, sustentando obreiros e missionários (2 Co 8.1-7). Nesta crise que ora atravessamos, demonstremos a nossa fé, mantendo as frentes evangelísticas já iniciadas e abrindo outras.

CONCLUSÃO

Que a evangelização integral caracterize nossas igrejas nesses dias difíceis e trabalhosos. A crise que perturba o nosso país poderá não ser a última. Outras mais agudas poderão surgir. Mas, amparados pelo Autor e Consumador da nossa fé, não desanimemos. Caminhemos de vitória em vitória, evangelizando e fazendo missões, até que o Senhor nos venha buscar.


Leia ainda:

Download da lição 13:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]



Respostas da Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora

A respeito da evangelização integral, responda:



• O que é a evangelização integral?
Consiste na proclamação simultânea do Evangelho em todos os âmbitos: local, nacional e transcultural.

• Por que a evangelização tem de ser simultânea e global?
Porque Jesus não ordenou aos discípulos evangelizar primeiro Jerusalém, depois a Judeia, em seguida Samaria e, finalmente, os confins da terra. O seu plano-diretor era bem claro e objetivo: "e ser-me-eis testemunhas tanto em Jerusalém como em toda a Judeia e Samaria e até aos confins da terra".

• Quais as características da evangelização integral?
Doutrinação, integração, treinamento e identificação.


Inscreva-se e receba nossas publicações grátis!
Digite seu e-mail:


Enviado por FeedBurner

• O que é o discipulado integral?
É quando "a igreja promove a integração espiritual eclesiástica, doutrinária, social, emocional e cultural do novo crente, bem como envolvê-lo no serviço cristão".

• O que é uma evangelização autenticamente pentecostal?
É uma evangelização realizada pelos crentes cheios do Espírito Santo.

Leia ainda:

Download da lição 13:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 13 - A evangelização integral nesta última hora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

Respostas da Lição 12 - A evangelização na era digital

A respeito da evangelização na era digital, responda:


• O que caracteriza a era da informação?
Informação acessível e em tempo real.

• Cite alguns aspectos do pecado na era digital.
Pecados em série, rede de intrigas e e-mail fatal.


• Como deve ser o evangelista na era digital?
O evangelista deve ser alguém que, além da vocação, da mensagem e habilidades específicas, deve saber como manusear um site ou um blog. Em suma, ele deve saber usar a rede e consertá-la para que seu trabalho seja frutífero.

• Cite algumas das características da evangelização na Internet.
A mensagem de evangelização pela Internet há de ser clara, breve e objetiva.

• o que é o fator Habacuque?
É a evangelização na internet de forma direta e incisiva.

Leia ainda:

Download da lição 12:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

Subsídios da Lição 12 - A evangelização na era digital

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

"Fomos chamados para ser diferentes, porque o Senhor é diferente. Deus se revela como 'santo' (hb. qadosh), e o aspecto essencial de qadosh é a separação daquilo que é mundano, profano e corriqueiro, e a separação para seus propósitos. Os mandamentos dados a Israel exigiam que fosse mantida a nítida distinção entre as esferas do comum e do sagrado (Lv 10.10). Tal distinção tinha seu impacto sobre o tempo e o espaço (o sábado e o santuário), mas visava ao indivíduo de modo mais relevante. Tendo em vista que Deus é diferente de qualquer outro ser, todos os que lhe são submissos devem também estar separados — no coração, nas intenções, na devoção e no caráter para Ele, que é verdadeiramente santo (Êx 15.11).Leia aqui as lições anteriores!

Deus, por sua própria natureza, está separado do pecado e da humanidade pecaminosa. A razão por que nós, seres humanos, somos incapazes de nos aproximar de Deus, em nosso estado de pecado, é porque não somos santos. Na Bíblia, a questão da 'impureza' não está relacionada à higiene, mas à santidade. As marcas da impureza compreende: algo quebrado ou defeituoso, o pecado, a violação da vontade de Deus, a rebelião e a permanência no pecado" 

(HORTON, Stanley. Teologia Sistemática: Uma perspectiva pentecostal. led. Rio de Janeiro: CPAD, 1996, p. 139).


SUBSÍDIO BIBLICO-TEOLÓGICO

Professor, aproveite o tema abordado nesse tópico para enfatizar que "o crente, seja ele pastor, evangelista, missionário, escritor, ensinador, diácono, ou apenas membro da igreja, se não estiver ocupado, procurando trazer pessoa a Cristo, está falhando em seu dever na obra de Deus (cf. Mt 28.19; Lc 5.10; Jo15.i6)"

(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 1391).

SUBSÍDIO VIDA CRISTÃ

”O ministério de Cristo foi voltado integralmente para os pecadores. Certa feita, Jesus foi criticado porque se alimentava com pecadores e retrucou os seus acusadores: 'Os sãos não necessitam de médico, mas sim os que estão doentes; eu não vim chamar os justos, mas sim os pecadores' (Mc 2.17). Todo pecador tem a oportunidade de reatar a sua comunhão com Deus. Jesus foi enviado pelo Pai a fim de atuar como intermediário entre os homens e o Criador e trabalhar em nossa reconciliação.
Já ouvi algumas pessoas dizerem que se acham muito pecadoras, pois já cometeram muitos pecados. Costumo dizer: 'Para você que se considera um pecador, existe um grande Salvador, Jesus Cristo'. Você já pensou o que poderíamos fazer com um homem que ameaçava seus semelhantes, agredia, conduzia seus oponentes para a prisão e chegou a participar de crimes? Talvez você pense que este homem de quem estou falando tem características de um terrorista, por isso merece o cárcere. Pois bem, este homem é um personagem real que tem sua história registrada na Bíblia e ele se chamava Saulo, da cidade de Tarso.

Certo dia, Saulo viajava para uma região com o propósito de perseguir os cristãos por lá, e o Senhor Jesus se revelou para ele. Foi na estrada para Damasco que este homem teve o encontro mais importante de sua vida.Leia aqui as lições anteriores!

Outro exemplo foi o do rei Davi, que ordenou a morte de Urias, soldado a seu serviço, a fim de encobrir o pecado de adultério que havia cometido com a sua esposa Bate-Seba, mas ele reconheceu seu pecado e confessou o seu erro, e Deus o perdoou. Davi sofreu as terríveis consequências de seu erro, mas foi perdoado pelo seu arrependimento sincero. A Bíblia afirma que 'o que encobre as suas transgressões nunca prosperará, mas o que as confessa e deixa, alcançará misericórdia' (Pv 28.13)" 

(WELLINGTON, José. Há Perdão em Cristo para o Pecador Arrependido. CPAD News. Rio de Janeiro, agosto, 2013. Disponível em: < http://www.cpadnews.com. br/blog/josewellington>. Acesso em: 7/04/2016).


Leia ainda:

Download da lição 12:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

EBD 2016 - 3º Trimestre: Lição 12 - A evangelização na era digital


Lição de número 12 da Escola Dominical em todas as Assembleias de Deus no Brasil em 18/Setembro/2016

Lição 12 - A evangelização na era digital

INTRODUÇÃO

O conhecimento produzido no último século é superior a tudo o que foi escrito, descoberto ou inventado anteriormente. Isso não deve surpreender-nos, porque todo este avanço já estava previsto (Gn 11.6). Entretanto, a era da informação instantânea, apesar de suas facilidades, constitui-se num grande desafio evangelístico.
Em nenhum outro momento da História da Igreja Cristã, a pregação do Evangelho viu-se às voltas com tantas concorrências e distrações.
Tendo em vista a realidade da era da informação instantânea, é urgente mostrarmos a esta geração que "Jesus Cristo é o mesmo ontem, e hoje, e eternamente" (Hb 13.8). Precisamos nos preparar para evangelizar por intermédio das redes sociais.

I - PECADORES DIGITAIS NAS MÃOS DE UM DEUS REAL

A televisão era vista, por alguns, como a porta do inferno. Hoje, porém, os computadores, smartphones e tablets estão abrindo portas para a evangelização desta geração digital.
1. Pecados em série. Davi, certa vez, ao invés de ir à guerra com os seus homens, resolveu ficar no palácio. À hora da tarde, ele passeava no terraço da casa real, e viu "a uma mulher que se estava lavando; e era esta mulher mui formosa à vista" (2 Sm 11.1,2). Mesmo sabendo que Bate-Seba era esposa de Urias, convidou-a ao palácio, e com ela pecou. 0 seu adultério levou a instabilidade a todo o Israel. Hoje, discretamente, a geração digital acessa sites imorais, cujo conteúdo serve para alimentar as concupiscências mais grosseiras, baixas e abomináveis. Como, pois, alcançar esse campo missionário virtual de pessoas reais que caminham para um lago de fogo também real? (Ap 21.8). Não podemos fugir a esse desafio. A Igreja do Senhor precisa produzir conteúdos bíblicos de excelente qualidade, que se contraponham a essa avalanche pornográfica.

2. Rede de intrigas. Ammon, filho de Davi, utilizou-se de uma rede sofisticada de relacionamentos, administrada por Jonadabe, a fim de seduzir sua meia irmã, Tamar (2 Sm 13.1-14). E, assim, utilizando como pretexto amor e doença, estuprou a jovem, levando a vergonha e o ódio à casa real de Israel.
Se por um lado, as redes sociais facilitam encontros e contatos entre amigos e parentes distantes, por outro, têm multiplicado traições, adultérios e a destruição de lares. Esse efeito nocivo pode ser minimizado, senão anulado, se cada crente as utilizar para ganhar os pecadores digitais para o Cristo real.

3.O e-mail fatal. A fim de encobrir o seu pecado, Davi escreveu uma carta a Joabe, na qual arquitetava a morte de Urias, marido de Bate-Seba. Nesse intento, ordenou ao pobre Urias que a levasse ao destinatário (2 Sm 11.14- 16). O final desta história não poderia ser mais triste. Através da espada dos filhos de Amom, Davi matou um de seus melhores capitães (2 Sm 12.9).
0 correio eletrónico facilita-nos o dia a dia, encurta-nos as distâncias e ajuda-nos a resolver pendências. Infelizmente, essa ferramenta tão útil vem sendo utilizada também para arruinar reputações, caluniar e até matar. Nós, porém, vamos utilizar esta ferramenta para comunicar vida através do Evangelho de Cristo. Utilize seu e-mail para divulgar a Palavra de Deus, e, nas mensagens, seja breve e objetivo.Leia aqui as lições anteriores!

II-CONSERTANDO A REDE PARA CRISTO

Tiago e João estavam no barco, junto com o seu pai, Zebedeu, consertando as redes, quando foram chamados por Jesus (Mc 1.19,20). Hoje, quem se propõe a falar de Cristo aos pecadores digitais tem uma grande rede a consertar: a internet evangelística.
1. Vocação. Falar de Cristo através da Internet é um ministério que exige vocação, pois o ambiente da rede global de computadores acha-se poluído com sites ruins e falsos, que acabam pregando outro evangelho (Gl 1.6). É nesse ambiente que a sua página tem de fazer toda a diferença. E tome cuidado com os vírus doutrinários, pois são fatais.
Na Internet, tanto a rede quanto o anzol são indispensáveis (Mt 17.27; Jo 21.11). Por isso, evangelize coletivamente e não deixe de discipular individualmente. O campo é virtual, mas a pessoa do outro lado é real.

2. Mensagem. Quem é vocacionado a evangelizar pela Internet precisa ter uma mensagem bem definida: o evangelho puro e simples de Cristo (1 Co 2.2).

3. Habilidade. Para se evangelizar pela Internet, requerem-se do evangelista, além da vocação e da mensagem, habilidades específicas. Por esse motivo, ele deve saber como manusear um site ou um blog. Em suma, ele deve saber usar a rede e consertá-la para que seu trabalho seja frutífero.

III - EVANGELHO REAL PARA PESCADORES DIGITAIS

A evangelização dos pecadores digitais, para ser bem-sucedida, tem de levar em conta alguns fatores.
1. Fator Habacuque. A mensagem pela Internet há de ser clara, breve e objetiva (Hc 2.2). Doutra forma, o que passa correndo pelos sites, em busca de novidades, jamais será alcançado pelo Evangelho. Portanto, nada de mensagens prolixas, cheias de parênteses e subjetivismos.
Seja direto e incisivo. Você pode, em alguns minutos, expor eficientemente o Plano da Salvação. Otimize este tempo, incluindo o apelo e a oração.

2. Fator Eliseu. 0 profeta Eliseu era reconhecido, por todo o Israel, como um autêntico homem de Deus (2 Rs 4.9). Que nossos sites e páginas sociais, pois, venham a glorificar a Cristo. Quem nos visita digitalmente tem de saber que temos um compromisso real com o Evangelho de Cristo.
Por esse motivo, não se envolva em questões polêmicas que geram brigas e discussões. Cuide de sua reputação. Você constatará que, em muitos casos, sua postura será suficiente para levar almas aos pés de Cristo. A exortação do apóstolo não pode ser ignorada: "Fala disto, e exorta, e repreende com toda a autoridade. Ninguém te despreze" (Tt 2.15).


3. Fator Paulo. Chegando a Atenas, Paulo encontrou um ponto de contato evangelístico, ao deparar-se com o altar dedicado ao Deus Desconhecido (At 17.23). Esteja, então, inteirado quanto aos eventos, problemas e crises que atingem a sociedade. A partir de um ponto de contato inteligente, introduza eficazmente o Evangelho de Cristo.
A. Fator Filipe. Ao ouvir que o oficial de Candace, rainha dos etíopes, lia o profeta Isaías, Filipe não perdeu tempo com uma abordagem sutil. Mas, de maneira direta, perguntou-lhe: [,..]"Entendes o que lês?" (At 8.30). Quem se dedica à evangelização, na Internet, deve estar sempre preparado para interpretar a Palavra de Deus, pois a internet é um universo infestado de vírus doutrinários.
É indispensável ao evangelista digital um preparo real. A recomendação de Paulo não pode ser desprezada: "Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade" (2 Tm 2.15).Leia aqui as lições anteriores!

CONCLUSÃO

A evangelização pela Internet tem como alvo alcançar os pecadores digitais. Levemos em conta, ainda, as pessoas que, sentindo-se desprezadas, refugiam-se nesse universo irreal e fantasioso. Elas também são alvo da mensagem evangélica. Há muito trabalho a ser feito tanto no mundo real quanto no digital.
Nossa missão consiste em falar de Cristo a todos, por todos os meios. Onde estiver um pecador, aí estaremos nós, real ou digitalmente, para anunciar que Jesus Cristo salva, batiza com o Espírito Santo, cura as enfermidades e, em breve, virá buscar-nos. Aguardemos, pois, [...] "a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Senhor Jesus Cristo" (Tt 2.13).


Leia ainda:

Download da lição 12:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 12 - A evangelização na era digital [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

Ads


Compartilhe!