10/09/2016

Subsídios da Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência

SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

"Defeitos físicos desqualificavam os descendentes de Arão para servirem como sacerdotes e oferecerem sacrifícios em favor do povo. (1) 0 requisito do corpo físico integral do sacerdote, falava do propósito divino, no sentido do sacerdote ser um exemplo vivo da vida total do ministro a serviço do Senhor. 0 sacerdote tendo um corpo sem defeito seria mais eficaz no serviço de Deus. Todavia, quem não pudesse servir como ministro devido a tais defeitos, não perdia o direito de participar do pão de Deus, a plena salvação vinda pelo concerto de Deus. (2) A exigência divina de um corpo perfeito no sacerdócio levítico prefigurava a perfeição moral de Cristo (Hb 913,14) e aponta para as qualificações espirituais requeridas por Deus para os ministros do Novo Testamento. Todo aquele que serve no ministério deve ser inculpável e irrepreensível" (Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, p. 217).Leia aqui as lições anteriores!

SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

"A Palavra de Deus declara: 'Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura' (Mc 16.15). Com certeza, os alunos com deficiência estavam incluídos neste grupo, pois são criaturas do Senhor e importantes para Ele. 0 apóstolo Paulo nos dá o seguinte exemplo: ’Fiz-me fraco para com os fracos, para ganhar os fracos. Fiz-me tudo para com todos, para por todos os meios chegar a salvar alguns. Faço tudo isso por causa do evangelho, para ser também participante dele' (1 Co 9.22,23). Êxodo 4.11 diz: 'Quem fez a boca do homem?’ Isaías 35.5,6 diz: 'Os olhos dos cegos se abrirão, e os ouvidos dos surdos se desimpedirão. Então os coxos saltarão como o cervo, e a língua dos mudos cantará'. As pessoas com deficiência naquele dia serão totalmente regeneradas.

O surdo não é um doente. Ele é um sujeito que tem uma língua natural própria, a LIBRAS (Língua Brasileira de Sinais). Quais são as medidas a serem observadas na comunicação com o surdo? Em primeiro lugar, precisamos compreender que existem surdos oralizados, ou seja, conseguem se expressar por meio da fala e compreender o que lhes é transmitido por meio da leitura labial. Mesmo oralizado, o surdo continua com dificuldade de comunicação porque continua sem ouvir. Muitos desses alunos oralizados usam aparelho auditivo, mas é preciso lembrar que o aparelho não exclui a sua limitação, apenas ajuda.

Encontramos também o surdo não oralizado, que é aquele que não consegue se comunicar por intermédio da fala. A comunicação com esse grupo é feita deforma não verbal. Para isso, tanto o aluno quanto o professor precisa conhecer a língua de sinais (LIBRAS). Atualmente, existem vários métodos de comunicação que podem ser empregados com o surdo. Fica então a pergunta: Quais métodos podemos utilizar na comunicação com o surdo? É importante lembrar que o surdo 'ouve com os olhos', portanto só haverá comunicação se houver visualização. Observe:
1. Ao se comunicar com o surdo, procure ficar de frente para ele;
2. Fale pausadamente;
3. Utilize a expressão facial e corporal;
4. Utilize vocabulário simples;
5. Procure manter uma curta distância entre você e a pessoa surda;
6. Utilize gestos, mesmo que o surdo seja bem oralizado;
7. Mantenha a boca e mãos livres para fazer os gestos necessários. Não esqueça que o corpo todo 'fala';
8. Procure dominar a língua de sinais e o alfabeto manual, principalmente para nomes próprios;
9. O surdo precisa ser exposto à cultura surda para desenvolver realmente sua língua e compor sua identidade;
10. A Libras para o surdo é a língua materna" 

(CHIQUINE, Siléia. Ensinando Deficientes Auditivos. 25a Conferência de Escola Dominical. Rio de Janeiro: CPAD, 2016, p. 66).
SUBSÍDIO DE EDUCAÇÃO CRISTÃ

“De acordo com o IBGE, a maioria das pessoas com necessidades especiais do Brasil tem problemas de visão, vêm em seguida os que apresentam alguma deficiência motora, em terceiro está o grupo dos deficientes auditivos, depois os deficientes mentais. Entre essas classificações há também os que acumulam múltiplas deficiências.
O que é deficiência visual?
A deficiência visual é caracterizada pela perda total ou parcial, congénita ou adquirida, da visão. Há pelo menos dois grupos de deficiência visual: Cegueira - há perda total da visão ou pouquíssima capacidade de enxergar, o que leva a pessoa a necessitar do Sistema Braille como meio de leitura e escrita.
Baixa visão ou visão subnormal- caracteriza-se pelo comprometimento do funcionamento visual dos olhos, mesmo após tratamento ou correção. As pessoas com baixa visão podem ler textos impressos ampliados ou com uso de recursos óticoS especiais (fonte: Fundação Dorina).
Pessoa com Deficiência A sociedade vem passando por um processo de transformação. Há um novo olhar em relação às pessoas com deficiências. Há até mesmo uma preocupação com o uso da linguagem. Os termos que definem a deficiência vêm se adequando a essa visão. Atualmente, o termo correto a ser utilizado é pessoa com deficiência, que faz parte do texto aprovado pela Convenção Internacional para Proteção e Promoção dos Direitos e Dignidades das Pessoas com Deficiência, aprovado pela Assembleia Geral da ONU, em 2006 e ratificada no Brasil em julho de 2008 (fonte: Fundação Dorina).
Segundo dados do IBGE de 2010, no Brasil, mais de 6,5 milhões de pessoas têm alguma deficiência visual. Desse total: 528.624 pessoas são incapazes de enxergar (cegos); 6.056.654 pessoas possuem grande dificuldade permanente de enxergar (baixa visão ou visão sub-normal); outros 29 milhões de pessoas declararam possuir alguma dificuldade permanente de enxergar, ainda que usando óculos ou lentes " 




(LOPES, Jamiel. A Leitura como Alternativa do Ensino ao Aluno com Deficiência. 25a Conferência de Escola Dominical. Rio de janeiro: CPAD, 2016, p. 69).

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

"Cura e perdão (Mc 2.1-7)
A medicina moderna entende que há uma conexão vital entre saúde e bem-estar mental. A Bíblia associa toda doença e sofrimento à nossa separação de Deus. A enfermidade é uma consequência da Queda. Assim, a maior necessidade do ser humano não é a cura física, mas a espiritual como um todo. Jesus se preocupou tanto que satisfez a mais profunda necessidade do paralítico, da mesma maneira como Ele deseja satisfazer a nossa" 

(RICHARDS, Lawrence 0. Guia do Leitor da Bíblia: Uma análise de Génesis a Apocalipse capítulo por capítulo. lO.ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2012, p. 634).


Leia ainda:

Download da lição 11:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 01 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 02 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 04 - O Trabalho e Atributos do Ganhador de Almas [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 05 - A Evangelização Urbana e suas Estratégias [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 06 - A Evangelização dos grupos desafiadores [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 07 - O evangelho no mundo acadêmico e político [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 08 - A evangelização de grupos religiosos [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 09 - A evangelização das crianças  [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 10 - O poder da evangelização na família [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 11 - A evangelização das pessoas com deficiência [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

Compartilhe!