04/07/2016

Subsídios da Lição 03 - Igreja, Agência Evangelizadora

SUBSÍDIO TEOLÓGICO

"A Igreja e Missões

A evangelização do mundo é o imperativo do Novo Testamento. 'O evangelho deve ser proclamado [anunciado] entre todas as nações' (Mc 13.10, tradução livre). O Advogado a realizar a tarefa é o Espírito Santo, enquanto que a instituição escolhida divinamente para a proclamação é a igreja de Jesus Cristo. Essas são afirmações sérias e bíblicas.

Até mesmo uma leitura superficial do Novo Testamento irá convencer o leitor da relevância da igreja na atual administração de Deus. Cristo amava a igreja e deu-se a si mesmo por ela. Somos assegurados de que no momento Ele está edificando sua igreja e que, por fim, irá 'apresentar a si mesmo igreja gloriosa, sem mácula nem ruga, mas santa é irrepreensível'. Tudo isso está de acordo com o propósito eterno que Deus tinha em Cristo Jesus nosso Senhor: ‘Para que agora, pela igreja, a multiforme sabedoria de Deus seja conhecida dos principados e potestades nos céus, segundo o eterno propósito que fez em Cristo Jesus nosso Senhor' (Ef 5.25-27; 3.10,11).

A igreja é a geração eleita, sacerdócio real, nação santa e povo adquirido por Deus. 0 propósito desse grande chamado é que a igreja exponha as virtudes dEle, que a tirou da escuridão para sua maravilhosa luz. A igreja é uma criação proposital em Cristo Jesus; ela é o corpo de Cristo (sua manifestação visível) e o templo do Espírito Santo. Ela foi criada no dia de Pentecostes para personificar o Espírito Santo na realização do propósito de Deus neste mundo.

Missões não é uma imposição feita à igreja, pois faz parte de sua natureza e deveria ser tão natural para ela quanto as uvas são naturais para os galhos que se dependuram no vinhedo. Missão “flui da constituição, do caráter, chamado e designo da igreja" 

(PETERS, George W. Teologia Bíblica de Missões, led. Rio de Janeiro: CPAD, 2000, p. 244).


SUBSÍDIO TEOLÓGICO

“À medida que revisamos o mandato da Grande Comissão, podemos resumir a tarefa da igreja em várias afirmações que apresentam o padrão e o propósito de missões. A Grande Comissão declara enfaticamente a soberania do Senhor e assume completamente a singularidade, finalidade, suficiência, integridade, universalidade, e o aspecto inclusivo e exclusivo do Evangelho de nosso Senhor Jesus Cristo.

A igreja cristã tem a solene obrigação de fazer o seguinte:
1. Apresentar a Cristo de forma viva, clara, eficaz e persuasiva ao mundo e ao indivíduo como o Salvador enviado por Deus, o Senhor soberano do Universo e futuro Juiz da humanidade.

2. Guiar os povos a uma relação de fé com Jesus Cristo a fim de que possam experimentar perdão dos pecados e renovação de vida. O homem deve nascer novamente, se quiser herdar vida eterna e amizade eterna com Deus.

3. Separar e congregar os crentes através da realização do batismo, estabelecendo-os em igrejas atuantes. O companheirismo constitui uma parte vital da vida cristã.

4. Firmar os cristãos na doutrina, nos princípios e nas práticas da vida, amizade e serviço cristão, ensinando-os a observar todas as coisas. Isso é instrução, a criação de discípulos cristãos, a cristianização do indivíduo.

5. Treiná-los a viver no Espírito Santo. Já que a vida cristã contém exigências e ideais sobrenaturais, ela só pode ser vivida através de uma confiança plena no Espírito Santo. Se as lições não forem aprendidas cedo, a vida cristã fica cercada de frustração e torpor; a apatia instala-se, ou as pessoas acomodam-se a uma vida cristã anormal. Essa é a tragédia de inumeráveis cristãos que nem mesmo esperam concretizar os ideais bíblicos" 

(PETERS, George W. Teologia Bíblica de Missões, led. Rio de Janeiro: CPAD, 2000, p. 260).

SUBSÍDIO BÍBLICO-TEOLÓGICO

Os despediram (At 13.3)

Com estas palavras começa o grande movimento missionário da igreja 'até aos confins da terra' (At 1.8). Os princípios missionários vistos no capítulo 13 de Atos são um modelo para todas as igrejas que enviam missionários.
(1) A atividade missionária é originada pelo Espírito Santo, através de líderes espirituais que estão profundamente dedicados ao Senhor e ao seu reino, buscando-o com oração e jejum.
(2) A igreja deve estar atenta ao ministério e atividade proféticos do Espírito Santo e sua orientação.
(3) Os missionários que são enviados, devem fazê-lo segundo a chamada e a vontade especifica do Espírito Santo.
(4) Mediante a oração e o jejum, a igreja, buscando constantemente estar em harmonia com a vontade do Espírito Santo, confirma a chamada divina de determinadas pessoas à obra missionária. O propósito é que a igreja envie somente aqueles que forem da vontade do Espírito Santo.
(5) Pela imposição de mãos e o envio de missionários, a igreja indica que se compromete a sustentar e assistir os que saem à obra. A responsabilidade da igreja que envia missionários inclui demonstrar amor e cuidado para com eles de um modo digno de Deus, orar por eles e sustentá-los financeiramente. Isso inclui ofertas especiais de amor para necessidades especificas deles. O missionário é uma projeção do propósito, interesse e missão da igreja que os envia. Essa igreja fica sendo, portanto, uma cooperadora da verdade (Fp 1.5)" 


(Bíblia de Estudo Pentecostal. Rio de Janeiro: CPAD, pp. 1659,1660).

Leia ainda:


Lições já disponíveis em PDF: 
Lição 1 - O que é Evangelização [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 2 - Deus, o Primeiro Evangelista [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]
Lição 3 - Igreja, Agência Evangelizadora [4SHARED] [GOOGLE DRIVE]

Ads


Compartilhe!