03/07/2013

EBD 3º Trimestre de 2013: Lição 1: Paulo e a Igreja em Filipos

Olá,pessoal, graça e paz a todos! No último trimestre, onde a Revista da EBD tratou sobre a família cristã no seculo XXI, nós, do Blog Verdade Profética, apresentamos as lições de forma integral conforme disponibilizada no comentário original da revista. Neste Trimestre, nós comentaremos em cima de cada lição, com o intuito de tornar ainda mais enriquecido o conteúdo de cada uma delas. Esperamos que vocês gostem da nossa abordagem e participe interagindo conosco também. Apresentamos,então, a primeira lição deste trimestre, que está simplificada, bem resumida,bom estudo e boa aula! - Editor.

I-INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA

Inicialmente, disponibilizamos uma visão geral da carta de Paulo aos Filipenses [aqui], para uma melhor interação de todos com o cenário, e o conteúdo daquilo que o apóstolo escreveu para aquela Igreja. O ponto,porém, que muito chama atenção é o fato de esta carta não ter como objetivo principal a doutrinação, repreensão à Igreja, não tinha como objetivo tratar conflitos, ainda que tratasse da questão dos falsos ensinos (3.1-21). A motivação de Paulo ao escrever esta carta era totalmente sua afeição e apreço pela congregação. [clique aqui para mais comentários sobre a Cidade de Filipos e a Carta de Paulo a Filipenses]

II-AUTORIA E DESTINATÁRIOS

O nome de Timóteo aparece logo no início da carta aos filipenses (v.1), como sendo coautor desta carta,mas, a autoria pertence ao apóstolo Paulo. A menção de Timóteo como coautor desta epístola se dava ao fato do apóstolo não possuir uma saúde muito boa, o que o obrigava a constantemente depender da ajuda de um auxiliar na composição de seus escritos, como vemos em várias outras cartas a cooperação de seus auxiliares (Rm 16.22; 1Co 1.1; Cl 1.1).

Ao escrever a epístola aos Filipenses, o Apóstolo Paulo direciona a epístola não somente à Igreja, a qual denominou de “todos os santos”, isto é, os membros que ali congregavam, identificando que a congregação ali estabelecida era uma extensão do Corpo do Senhor Jesus, aliás, era comum o apóstolo qualificar as Igrejas desta forma  (Rm 1.7; 1Co 1.2), era uma qualificação apostólica que identificava o chamado espiritual da Igreja, como antes, ainda hoje a Igreja é o Corpo, a congregação dos santos em Cristo Jesus. A Igreja é,em outras palavras, os ramos nos quais a videira é o próprio Senhor Jesus (Jo 15.1-7). [clique aqui para mais considerações sobre a Cidade de Filipos]

No entanto, o apóstolo também direcionou a epístola aos dirigentes daquela igreja, ao contrário de outras epístolas pastorais, como as direcionadas a Timóteo e Tito,por exemplo, que eram direcionadas unicamente a lideranças, esta abrangia tanto a Igreja, como os lideres dali, mostrando o seu cuidado também com aqueles que estão à frente da Congregação.


III- AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11)

A ação de graças de Paulo possui três pontos fundamentais:
  1. As razões: a compaixão deles para com o apóstolo quando da sua prisão, defesa e confirmação do Evangelho (v.7);
  2. A gratidão (vv. 3-8): Paulo lembra a experiência amarga sofrida juntamente com Silas em Filipos (v.7), descrita em Atos 16.19,23,24. Os filipenses participaram das aflições do apóstolo e proveram-no, inclusive, de recursos financeiros (4.15-18), ao passo que os coríntios fecharam-lhe as mãos (1Co 9.8-12). Por isso, quando lemos a Epístola aos Filipenses percebemos o amor, a amizade e a grande estima que Paulo nutria para com aquela igreja (v.8).
  3. A oração de petição (vv. 9-11): Após agradecer, o apóstolo passa a orar em favor dos filipenses:Que o vosso amor aumente mais e mais em ciência e em todo o conhecimento (v.9);  Para que aproveis as coisas excelentes para que sejais sinceros e sem escândalo algum até ao Dia de Cristo (v.10); e Cheios de frutos de justiça (v.11).

Conclusão:: As adversidades ministeriais na vida do apóstolo Paulo eram amenizadas na demonstração de amor das igrejas plantadas por ele.

E Mais::

Ads


Compartilhe!