01/05/2013

Infidelidade [Subsídio 1 aula 5 - Conflitos na família]

14 Voltai, ó filhos pérfidos, diz o Senhor; porque eu sou como esposo para vós; e vos tomarei, a um de uma cidade, e a dois de uma família; e vos levarei a Sião;
15 e vos darei pastores segundo o meu coração, os quais vos apascentarão com ciência e com inteligência.
16 E quando vos tiverdes multiplicado e frutificado na terra, naqueles dias, diz o Senhor, nunca mais se dirá: A arca do pacto do Senhor; nem lhes virá ela ao pensamento; nem dela se lembrarão; nem a visitarão; nem se fará mais.
17 Naquele tempo chamarão a Jerusalém o trono do Senhor; e todas as nações se ajuntarão a ela, em nome do Senhor, a Jerusalém; e não mais andarão obstinadamente segundo o propósito do seu coração maligno.
18 Naqueles dias andará a casa de Judá com a casa de Israel; e virão juntas da terra do norte, para a terra que dei em herança a vossos pais.
19 Pensei como te poria entre os filhos, e te daria a terra desejável, a mais formosa herança das nações. Também pensei que me chamarias meu Pai, e que de mim não te desviarias.
20 Deveras, como a mulher se aparta aleivosamente do seu marido, assim aleivosamente te houveste comigo, ó casa de Israel, diz o Senhor.
21 Nos altos escalvados se ouve uma voz, o pranto e as súplicas dos filhos de Israel; porque perverteram o seu caminho, e se esqueceram do Senhor seu Deus.
22 Voltai, ó filhos infiéis, eu curarei a vossa infidelidade. Responderam eles: Eis-nos aqui, vimos a ti, porque tu és o Senhor nosso Deus.
23 Certamente em vão se confia nos outeiros e nas orgias nas montanhas; deveras no Senhor nosso Deus está a salvação de Israel.
24 A coisa vergonhosa, porém, devorou o trabalho de nossos pais desde a nossa mocidade os seus rebanhos e os seus gados os seus filhos e as suas filhas.
25 Deitemo-nos em nossa vergonha, e cubra-nos a nossa confusão, porque temos pecado contra o Senhor nosso Deus, nós e nossos pais, desde a nossa mocidade até o dia de hoje; e não demos ouvidos à voz do Senhor nosso Deus. (Jeremias 3)
O texto lido diz que o povo de Deus lhe foi tão infiel que ele mesmo preparou uma ilustração para podermos entender melhor. O Senhor coloca-se na posição de um marido traído pela esposa! Mesmo assim, muitos ainda não o entendem. Talvez você consiga imaginar como se ente alguém traído e como reagiria. Há pessoas que chegam a responder à traição cometendo crimes. Há também aqueles que não suportam tal situação, entram em depressão e perdem a vontade de viver. Deus aplica esta imagem a si mesmo para nos fazer entender a gravidade de tal procedimento. No entanto, ele é muito diferente de nós: ele quer perdoar e esquecer nossas transgressões. Sua misericórdia se renova todo dia (Lm.3.22.23) e por isso, ele continua chamando e convidando os fiéis à reconciliação. Na ocasião, seu povo reconheceu e confessou que vinha seguindo outros deuses e que aquilo foi um erro que só lhe trouxe vergonha e prejuízos. Faziam toda espécie de manobras religiosas com os mais diversos ídolos, esperando com isso melhorar suas colheitas e multiplicar o seu gado,mas o resultado foi um fracasso.

Para nós,hoje, pergunta-se se esta história poderia ter algo a ver com a nossa própria vida.Quais e quantas são as manobras que empreendemos hoje para buscar o sucesso? Desde submeter-se a superstições quaisquer,passando a jogadas  com a sorte e chegando a espertezas desonestas em prejuízo do próximo, há de tudo.E o resultado? É verdade que alguns conseguem juntar fama  e dinheiro, mas em geral o preço disso é insegurança e medo de perder tudo de novo, insatisfação, relacionamentos destruídos por ganância e desentendimentos.

No meio disso tudo, Deus continua chamando:"Voltai, ó filhos pérfidos (rebeldes)"[1] - e conheçam a bondade do Deus verdadeiro! Será que hoje alguém voltará?

[1] Editado

Elias Torres da Silva E.T.S.
Extraído de: Pão Diário - O Livro de leituras devocionais n° 14; 10/Dez.SP,2011,1ª Edição; Rádio Trans Mundial.

Ads


Compartilhe!