21/01/2013

Micaías e Zedequias: [Subsídio 1 - Aula 4]

Seguindo com os subsídios para a Escola Dominical, EBD 2013,trazemos o primeiro subsídio para a aula 4 que falará sobre a questão dos falsos profetas.Bom estudo!

Muito embora Elias tivesse a ideia que ele era o único que se mantivera fiel a Deus em meio à corrupção de Israel,o Senhor diz ao profeta que Ele havia mantido ainda sete mil fiéis que não haviam se curvado a baal,nem aceitado servir a este falso deus (1Rs. 19.18). Micaías,um dos que se mantiveram fiéis,era profeta do Senhor em Samaria,conhecido por ser uma voz contrária ao governo iníquo de Acabe (1Rs. 22.8).Sua aparição se dá num momento que Josafá quer uma direção divina para ir junto de Acabe ou não na luta contra Ramote-Gileade.O rei de Judá,Josafá,não tinha certeza de todo o festival de profecias favoráveis à sua ida com o rei de Israel e Micaías foi a última voz a ser ouvida antes dos reis de Israel e Judá irem à guerra.

No mesmo cenário surge,entre os 400 profetas que foram favoráveis (1Rs. 22.6),um falso profeta que se destaca: Zedequias.Tal homem havia sido a favor,junto dos demais 'profetas' de Samaria,da ida à guerra,assegurando que a Mão de Deus estava naquele negócio e daria vitória a Acabe e Josafá. Os profetas que eram a favor daquilo tudo,dizendo que o Senhor havia determinado a vitória, incluindo Zedequias,bem como Micaías,o profeta do Senhor possuíam  algumas características especiais, veremos a seguir:

SOBRE O HOMEM DE DEUS,MICAÍAS:
  • Não tinha medo de imposições humanas (1Rs. 22.13): O verdadeiro profeta não tem dentro de si qualquer medo ou temor em apregoar a genuína mensagem de Deus, mesmo diante de imposições dos poderosos,não se curva diante disso, mesmo com o interesse do povo em que lhe profetize apenas o 'mel', o homem de Deus não dá ouvidos a este povo rebelde (Is. 30.9-13);
  • Compromisso com a Palavra (1Rs. 22.14): Fiel ao Senhor,Micaías falava apenas aquilo que o Senhor lhe determina, sua voz se faz ecoar como um arauto de Jeová (Is. 8.20);
  • Palavra de restauração (1Rs.22. 17): Quando vemos a atuação dos profetas, é fácil perceber que há uma forte relação de seus ministérios com a volta a preceitos esquecidos e que não eram mais valorizados pelo povo.Na sua atuação como profeta, Micaías traz uma palavra que tem como objetivo ver o povo de Israel voltar-se como nação direcionada por Deus;
  • Suporta a rejeição pela fidelidade (1Rs. 22.24,27): Sendo a voz de Deus a uma nação corrompida pelo pecado,pela idolatria, não é difícil imaginar que haverá perseguição, como no caso de Elias,que via-se perseguido pela casa real,Micaías também se vê nessa situação,agora pisado pelos homens,recebe um tapa de Zedequias e é encarcerado, mas,mantém-se fiel mesmo nessa situação;
  • Traz sentença (1Rs. 22.28): Mesmo no cárcere, Micaías não se cala,interessante que quanto mais o profeta é rejeitado,tanto maior se torna o juízo contra seus opressores! Micaías profetiza a morte de Acabe,quando este estivesse na guerra e,obviamente, a sentença acontece,pelas mãos de um desconhecido que atirava a esmo (v.34), um triste fim para um monarca,não é mesmo?
SOBRE O FALSO PROFETA ZEDEQUIAS:
  • Possuído pelo espírito de mentira (1Rs. 22.23): Alguns imaginam que um falso profeta 'profetiza' pura e simplesmente pela sua própria carne.Quem pensa desta forma,infelizmente está enganado,vemos que há potestades malignas que se apoderam de tais pseudo-profetas para auxiliá-los em seus 'ministérios' (2Ts. 2.9-10);
  • Profecias extraordinárias (1Rs. 22.11): Já notou que os falsos profetas têm a facilidade em proclamar aquilo que é extravagante? Não basta profetizar que o milagre vai acontecer, eles dizem que vai acontecer com um show de poder que foge dos padrões de milagre da narrativa bíblica,todo falso profeta quer induzir seus ouvintes ao erro com promessas que vão além de um milagre;
  • É carnal (1Rs. 22.24): Diante de uma resposta negativa ou de uma opinião contrária, logo responde de maneira agressiva e sem fruto nenhum;
  • Teme a mão do inimigo (1Rs. 22.25): Micaías profetiza também contra Zedequias que, este falso profeta agiria de forma a procurar abrigo pela ausência do Espírito nele.
Note o leitor que obrigatoriamente que a Palavra profética,uma vez que dita em nome do Senhor, tem de se materializar.Tem de acontecer. Em Deuteronômio 18, vemos Moisés doutrinando sobre esta questão da atividade profética,ele regula a atividade profética em Israel,determinando parâmetros na atuação daqueles que teriam tal ministério.E,chegando na questão do cumprimento da profecia, o texto é claro dizendo que,quando não se cumpre, não foi Deus quem falou e,sim, uma ação daquele falso profeta que,segundo Moisés, não deve ser temido (Dt. 18.22).


Compartilhe!